quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Diário de um lunático - 1

13/01/2007

Olá para todos... Sou o Pedro, vão ouvir muito falar de mim.
Me perdoem a falta de jeito ao escrever, não tenho este costume. Mas resolvi registrar alguns de meus pensamentos, para que depois eu ou você mesmo possa avaliar se sou ou não sou, o que me definiram: um lunático. Isto aconteceu quando meu colega de faculdade, Jaime, descobriu que eu era, de alguma forma, ateu. Ele me disse então:
- Muito bem! É bom mesmo não estar ligado a dogmas e misticismo.
Olhei para ele com uma cara reprovadora, e disse:
-Ué, por que "Muito bem"? Você que é ateu não deveria achar isto bom, na verdade, não deveria achar nada...
Foi então que iniciou a conversa onde fui chamado de louco, lunático... Mas a questão para mim era simples demais, ele devia ter entendido. Afinal de contas, por que ele tem que achar algo que eu decidi para mim mesmo, bom ou ruim?
Navegando pela internet, encontrei cenas das mais grotescas também. Ateus se reunindo em grupos para discutir o ateísmo, e trocar informações. Pareciam até uma alegre igreja cristã, se reunindo para discutir a Bíblia. Todos eles possuíam os seus gurus, que escreviam grandes best-sellers ensinando como ser um ateu. A doutrina ensinada é a doutrina do conhecimento científico. Não entendam mal, a ciência nunca pediu para ser tratada como uma religião. Mas o fato é que alguns ateus são mais religiosos que muitos religiosos, abandonam a religião mas continuam com o velho costume de discutir doutrinas e seguir pastores. Assim eles transformam aquilo que foi descoberto para transformar a sociedade em algo melhor para transformar a sociedade em uma segregação melhor. A ciência que nunca se propôs a estudar o mundo dos místicos (já existem muitas religiões fazendo isto), acaba sendo colocada na argumentação contra o teísmo pelos próprios ateus. É claro, muitos religiosos não conseguem entender nem a própria religião, acabam achando que ciência é a mesma coisa que budismo. Aí, eles atacam é a ciência, pobre coitada. Aí aquele ateu que primeiro confundiu ciência com religião (por mais que negue isto, ele confunde sim, ele a usa como religião) espertamente cita as maravilhas científicas da atualidade, sem as quais o religioso não viveria... Claro, o fato de eu estar digitando este texto em um blog na internet prova que Deus não existe!
Então, depois de tudo isto, percebi que o ateísmo atual na verdade é mais uma religião, a religião do conhecimento científico. Nem todos os ateus são assim, fico feliz de haver ateus sinceros, que sinceramente não ligam para nada disto nem ninguém. Infelizmente a grande maioria deles está presa, já que é preciso ser muito ateu ou muito louco para atropelar a consciência moral (que só para o ateu que não existe), e cometer os vários crimes que levam as pessoas às cadeias. Se vocês perceberam, não sou dogmático, e principalmente, sou ecumênico. A maioria dos ateus que promovem seus encontros em sites de internet e sociedades (tem algo mais religioso do que uma sociedade?) vai dizer que estes não são ateus. Claro que não, parece que é um dogma no ateísmo atual, o fato de que um ateu tem que conhecer bastante sobre matérias acadêmicas, principalmente Biologia e Física (mais precisamente sobre Evolução e Big Bang, para responder aos crentes). É difícil ser um ateu pobre hoje em dia. E o pior de tudo, é que estes ateus que se vangloriam de ser muito racionais acham que os ladrões são religiosos, quando toda religião que eu conheço deve condenar o roubo. E como eu disse antes, estes ateus são mais sinceros, eles não ligam para nada nem ninguém. Eles não se envergonham de dizer que acreditam em Jesus ou em Confúcio, isto não deve significar nada para eles, e também não ligam para as pessoas que os condenam por se dizerem religiosos e cometerem tais crimes.
Em suma, fiquei meio apreensivo por adotar o título de ateu, exatamente por que o ateu hoje me parece religioso demais. Nem o título cético serve. Uma vez provaram que o ceticismo é auto-contraditório. Além disto, o cético não é tão cético assim. Os escritos de Darwin despertam mais ceticismo nos crentes do que nos próprios céticos. A verdade é que os céticos são céticos somente em questão de religião, nos outros assuntos são pessoas normais (ou não) como qualquer outra. O que é uma total falta de ceticismo, já que eles estão escolhendo em que áreas eles são céticos. Quando eles escrevem que a Evolução foi provada, me vem à cabeça quantas e quais perguntas eles se fizeram antes de aceitar isto como fato, e se algum dia eles comprovaram isto pessoalmente. Nada me tira da cabeça que a resposta é nula. Será que eles comprovaram que são elétrons mesmo que fluem por um condutor para que nós tenhamos luz à noite?
E aí volto a meu amigo Jaime, que ficou boquiaberto por perguntar a ele por que ele deveria achar alguma coisa sobre mim. Por que no fundo, ele compartilha aquele sentimento religiosamente peculiar de comunhão, que foi influenciado no ateísmo pelas religiões.
Eu não sou assim. Eu sou Pedro. Não digo que seja um grande prazer em te conhecer, pois não sei se o fato de te conhecer será útil para mim. Mas certamente você ouvirá falar de mim.

Um comentário:

  1. interessante essa questão de q o ateísmo acaba tornando-se religião p alguns..

    será q isso prova q nguem está imune ao sentimento religioso?
    no fundo estamos todos em busca da mesma coisa?..

    mto bom..

    bjos!

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar O Contorno da Sombra!
A sua opinião é bem-vinda. Comentários anônimos serão aprovados desde que não apelem para palavras chulas ou calúnias contra quem quer que seja.
Se você ainda não fez isso, sugerimos que você se cadastre no IntenseDebate (http://intensedebate.com/), que é a melhor plataforma para opinar em blogs, fóruns e sites.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails