terça-feira, 22 de julho de 2014

Kaká conta como está sua relação com os Hernandes


Em uma longa entrevista à jornalista Sonia Racy, que pode ser lida na íntegra clicando aqui, o jogador de futebol Kaká falou um pouco sobre religião e Renascer:
Como está, hoje, sua relação com a religião?

Muito ligada a Jesus só. Sou um cara que ama a Bíblia, tenho Jesus como meu exemplo. Então, faço as minhas orações. Tenho a Bíblia no meu telefone e estou lendo muito os Evangelhos ultimamente, para entender um pouco mais de Jesus e das coisas que ele fazia, como fazia e por que fazia.

Ficou decepcionado com os evangélicos?

Não, fiquei muito tempo na Renascer, frequentei a igreja, mas chegou um momento em que achei que era hora de me desligar da instituição. A gente tem uma ótima relação com eles.




segunda-feira, 21 de julho de 2014

Livro denuncia pedofilia de ex-padre que atuou em MG e no RS


A matéria foi publicada na Folha de S. Paulo de 20/07/14:

Após 30 anos, empresário acusa religioso de violentá-lo

Mineiro afirma que foi abusado dos 12 aos 15 anos, quando integrava coral

Outros três homens também dizem ter sido vítimas; ex-padre, que vive no RS, declara ser alvo de 'vingança'

ELIANE TRINDADE
ENVIADA ESPECIAL A CAÇAPAVA DO SUL E NOVO HAMBURGO (RS)

Depois de três décadas de silêncio, o empresário Marcelo Ribeiro, 48, decidiu acusar publicamente um religioso de abusar sexualmente dele dos 12 aos 15 anos.

Autor de um livro lançado há três meses, que revela a história, mas omite a identidade do suposto agressor, Ribeiro disse à Folha que se trata do ex-padre católico João Marcos Porto Maciel, que também foi maestro de coros da Catedral de Diamantina (MG) e Novo Hamburgo (RS).

Após o lançamento da obra --"Sem Medo de Falar, Relato de uma Vítima de Pedofilia" (ed. Paralela)--, o empresário diz ter sido procurado por outras vítimas, o que o encorajou a revelar a identidade do religioso.

"O maestro que indico na biografia atende pelo nome de dom Marcos de Santa Helena", afirma ele, que cantava no coral. "Com 12 anos, acordei com ele na minha cama e com minha calça abaixada", diz. "Durante dois anos, fui abusado diariamente."

A reportagem ouviu três homens que também relatam terem sido abusados.

Aos 74, o religioso disse à Folha que as denúncias de Ribeiro são uma vingança. Sobre outras acusações, afirmou, genericamente, que denúncias de pedofilia viraram "moda" (leia mais na pág. C4).

Dom Marcos vive em Caçapava do Sul (a 223 km de Porto Alegre). Em 2009, deixou a Igreja Católica e hoje celebra cultos num templo que segue uma linha própria, chamada por ele de "veterodoxa".

Após se deparar com um exemplar de "Sem Medo de Falar", o violoncelista gaúcho Alexandre Diel, 42, entrou em contato com o autor.

Diel também relata ter sido abusado aos 11 anos na paróquia de Hamburgo Velho. "Um dia ele me chamou para levar roupas à lavanderia no subsolo. Fechou a porta, baixou minhas calças, me deixou nu de costas e me penetrou", relata.

Mais dois ex-integrantes de corais disseram à Folha, sob anonimato, que foram abusados pelo religioso.

"Sou mais uma vítima do maestro João Marcos", afirma um enfermeiro de Porto Alegre, de 45 anos, que integrou o coro de Diamantina entre os 8 e 13 anos.

Um funcionário público mineiro de 39 anos, que entrou para o coral aos 12, afirma que sofria agressões físicas e, depois dos ensaios, dom Marcos o convidava para "dormir na casa paroquial, onde houve sexo".

Eles dizem que fariam as acusações em juízo, mas os casos não podem mais ser julgados. Pela lei, o crime de pedofilia prescreve dez anos após a vítima fazer 18 anos.




CNBB declara empenho contra casos de abuso

A CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) expressou em nota "compromisso e empenho na investigação dos casos de abuso sexual na Igreja".

Criador do coral da Catedral de Novo Hamburgo, o bispo Sinésio Bonh, atualmente aposentado, afirmou à Folha que fez uma "pequena investigação" sobre rumores de pedofilia envolvendo o então padre João Marcos.

Integrante do coral de Novo Hamburgo entre 1981 e 1987, o hoje maestro Leandro Escher, 44, defende dom Marcos. "Uma freira o acusou de comer meninos atrás da porta', mas, quando nossas mães foram ao bispo, ela desmentiu. Já ouvi muita história, mas ninguém prova nada."

Procurado pela reportagem, o atual bispo de Diamantina, dom João Bosco, informou que está na atual função há sete anos e não tem informações a respeito do coral e do maestro, que passou pela cidade há mais de 30 anos.

Presidente do Tribunal Eclesiástico local, o padre Frederico Martins e Filho afirma que o órgão só foi criado em 2007 e que não tem denúncias formais sobre o antigo coral. "O maestro não saiu de Diamantina com essa fama", diz a respeito das denúncias de pedofilia.

Link para este artigo da Folha sobre a posição da CNBB aqui.



domingo, 20 de julho de 2014

A motivação cristã por trás do atentado contra Hitler, 70 anos depois

Alfred Delp
Artigo publicado no IHU:

Fé é responsabilidade. 70º aniversário do atentado contra Adolf Hitler

As Igrejas não apoiaram atividades de resistência ao regime nazista em sentido estrito. Porém, chama a atenção que algumas das pessoas envolvidas na resistência motivaram as suas escolhas com a fé cristã.

A opinião é do teólogo e pastor italiano Lothar Vogel, professor da Faculdade Valdense de Teologia, em artigo publicado na revista Riforma, publicação semanal das Igrejas Evangélicas batista, metodista e valdense, 18-07-2014. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Eis o texto.

Este ano marca o 70º aniversário do atentado contra Adolf Hitler posto em ação, sem atingir o objetivo, no dia 20 de julho de 1944, pelo conde Claus von Stauffenberg.

Na Alemanha, a data da "Operação Walkyrie", apesar de não ser a única tentativa desse tipo, tornou-se o momento mais importante para comemorar a resistência ao nacional-socialismo.

Falando de resistência, é necessário introduzir uma distinção. Apesar de um controle férreo sobre a população, na Alemanha, houve reservas, críticas e algumas poucas contestações públicas ao regime, e também atividades de ajuda para aqueles que eram perseguidos e ameaçados de morte, particularmente para os judeus.

Esse tipo de atividades implicava riscos não ignoráveis para a incolumidade, a liberdade e a vida daqueles que se comprometiam. Até mesmo alguns representantes e membros das Igrejas, de todas as confissões, fizeram ouvir as suas vozes.

A resistência, porém, baseou-se na convicção de que o regime nazista perderia, por causa dos crimes por ele cometidos, qualquer legitimidade e deveria ser eliminado ou mediante uma conspiração ou com um atentado contra o ditador, ao qual os funcionários estatais e as forças militares estavam ligados por um juramento pessoal.

Uma resistência operacionalmente relevante se formou apenas nos anos da guerra (a partir de 1938) e era composta sobretudo por intelectuais, pela nobreza prussiana e por altos oficiais que tinham se dado conta da insustentabilidade da estratégia bélica adotada.

De certa importância foi o fermento cristão da resistência alemã. É verdade que a tomada do poder pelo nazismo foi possível graças à repugnância alimentada nas camadas protestantes em relação à República de Weimar e pela propensão de boa parte do catolicismo, justamente no período de crise da democracia, a ideias corporativistas, adversas ao sistema parlamentar. Um princípio de lealdade para com o Estado nazista era predominante até mesmo na Igreja Confessante.

Em síntese, as Igrejas não apoiaram atividades de resistência em sentido estrito. Porém, chama a atenção que algumas das pessoas envolvidas na resistência motivaram as suas escolhas com a fé cristã.

Harald Poelchau
O "círculo de Kreisau" em torno do conde Helmuth James von Moltke, que buscava desenhar uma Europa pós-bélica composta por entidades locais autogovernadas, era frequentado por protestantes afins socialismo religioso, incluindo o pastor Harald Poelchau (foto ao lado) e o jovem jesuíta Alfred Delp (foto acima).

Foi este último que inseriu nas reflexões do círculo a doutrina social católica, afirmando o princípio da subsidiariedade. O protestante von Moltke tomou de Delp também a visão – em si mesma discutível – da modernidade como época de progressiva degradação, culminando justamente no nazismo, cujo colapso deveria permitir a inauguração de uma fase de renovação.

Depois do atentado, quando Delp, assim como outros membros do círculo, acabou na prisão de Tegel, foi Poelchau, que atuava ali como capelão, que lhe levou as hóstias e o vinho para a celebração da missa – símbolo de um ecumenismo aprofundado pela experiência compartilhada de resistência ao regime.

O teólogo evangélico mais relevante da resistência foi Dietrich Bonhoeffer. Um dos pouquíssimos que já em 1933 tinham protestado contra o antissemitismo do regime, ele colaborou desde 1940 com o serviço secreto (Abwehr), que, sob a direção do almirante Wilhelm Canaris, havia se tornado um centro da resistência, organizada, dentre outros, por Hans von Dohnanyi, cunhado de Bonhoeffer.

Dietrich Bonhoeffer
Em vez de explorar as suas relações ecumênicas para espionar a Inglaterra, que era a sua tarefa oficial, Bonhoeffer tentou preparar o terreno internacional para um golpe de Estado na Alemanha, até a sua prisão ocorrida ainda em abril de 1943.

Somente depois do atentado do dia 20 de julho, no entanto, é que foram encontradas provas suficientes para condená-lo à morte. Como os outros conspiradores do Abwehr, Bonhoeffer também foi enforcado em abril de 1945.

Com as suas reflexões sobre a "responsabilidade" a ser vivida em um mundo secular, responsabilidade orientada a "mandatos" vocacionais concretos e não a princípios abstratos, Bonhoeffer fez do seu compromisso "laico" uma leitura teológica isenta de pretensões de superioridade. O seu compromisso nesse ramo da resistência que, conscientemente, tentava matar o tirano expressou o reconhecimento pleno da mundanidade do mundo, em que Bonhoeffer tentava viver a fé cristã na consciência de correr o risco de errar, mas de não poder não responder ao chamado recebido.



sábado, 19 de julho de 2014

Os 10 principais erros de um chefe

Matéria publicada na Pequenas Empresas e Grandes Negócios:

10 características de um chefe ruim

Descubra o que você está fazendo de errado e como isso pode prejudicar a sua equipe

Os líderes de uma empresa nem sempre são bem avaliados pelos funcionários. As causas são muitas: uma postura arrogante ou autoritarismo são algumas delas e acabam atrapalhando uma relação que poderia ser saudável e de confiança.

Chefes que não têm conhecimentos básicos para a gestão de uma equipe podem comprometer o desempenho de um negócio, seja ele pequeno ou grande.

Listamos, abaixo, as dez piores atitudes que acabam com o seu poder de liderança:

1. Indecisão
Bons líderes precisam ser capazes de tomar decisões rapidamente. Aqueles que não conseguem são considerados fracos para a equipe, que percebem a a insegurança e o medo de errar transmitidos pelo chefe.

2. Teimosia
Não ouvir o que os funcionários têm a dizer a respeito de determinado assunto é um dos maiores erros dos chefes, que normalmente acreditam estar sempre com a razão. Todas as pessoas têm um modo diferente de analisar algumas situações e isso pode contribuir para os negócios da empresa.

3. Arrogância
A arrogância é um dos piores traços encontrados nos líderes. Acredite: nenhum funcionário quer ouvir você se gabar de algo o tempo todo. Isso só faz com que você seja criticado na empresa.

4. Antipatia
Se você não é um chefe simpático, que passa uma boa impressão aos funcionários, provavelmente você e sua equipe terão uma grande falha na comunicação, já que haverá certo distanciamento entre vocês. Consequência: o empenho da empresa vai declinar.

5. Achar culpados
Maus líderes tendem a achar culpados para tudo que acontece de ruim com a empresa. Se você quer ser um bom profissional, assuma os erros dos seus funcionários e resolva o problema em equipe. Não aponte sempre os erros. Saber a hora de elogiar também é importante.

6. Ser emotivo
Ás vezes é complicado separar a razão da emoção. Mas, líderes que tomam qualquer atitude levando em conta apenas o emocional, sem analisar toda a situação e os dados obtidos, normalmente tendem a fracassar.

7. Desrespeito
Se você tratar seus funcionários de forma mal-educada, eles não terão prazer em trabalhar na sua empresa. Assim, o rendimento dos seus negócios vai cair. Para que você seja bem sucedido, deixe a equipe feliz e os problemas pessoais fora do ambiente de trabalho.

8. Cobrança
Todo funcionário precisa ter prazos e ser cobrado pelas suas tarefas, mas ficar em cima o tempo todo controlando os resultados e o andamento dos trabalhos dará a impressão, para toda a equipe, que você está desconfiando da capacidade dos que trabalham com você. É só saber dosar.

9. Tratar com favoritismo algum dos funcionários
É normal que alguns chefes tenham mais afinidade com determinados funcionários do que com outros. Porém, mostrar a toda equipe que existe um favoritismo vai causar um mal estar e ciúmes entre os profissionais que trabalham com você.

10. Manter sempre os olhos fechados para algo novo
Todos os bons líderes têm uma visão clara sobre todos os assuntos e pensam em longo prazo. Por não terem medo de inovar, estão sempre dispostos a mudar e ampliar os negócios da empresa.



sexta-feira, 18 de julho de 2014

Cientistas dizem ter descoberto como desligar a consciência

Artigo publicado no Gizmodo Brasil:

Cientistas parecem ter localizado o mecanismo de desligamento da consciência no cérebro

Todos nós perdemos a consciência diariamente: enquanto estamos dormindo. Mas os cientistas nunca haviam entendido que parte do cérebro controlava o mecanismo de estar consciente ou inconsciente. Agora, pesquisadores parecem ter encontrado essa parte do cérebro por coincidência, enquanto estavam estudando uma paciente epilética usando estimulação elétrica.

Como relata a News Scientist, pesquisadores da Universidade George Washington estavam usando eletrodos para monitorar os sinais do cérebro e tentar identificar que área dele disparava as convulsões da paciente. Um desses eletrodos foi colocado no claustro, uma fina camada de neurônios que fica entre as principais estruturas do cérebro — uma região que nunca havia sido estudada com o uso de eletrodos profundos anteriormente.

Inesperadamente, quando os pesquisadores enviaram sinais elétricos de alta frequência para o claustro, a paciente perdeu a consciência: ao contrário do que acontece durante uma convulsão, quando a atividade de uma pessoa cessa imediatamente, a paciente pareceu ir relaxando, passou a falar em voz mais baixa e se mexer mais devagar, até que ela ficou parada em silêncio, sem responder a chamados ou a estimulação visual. Ela estava, por definição, inconsciente. Quando ela acordou e a estimulação elétrica foi desligada, ela não se lembrava de nada que havia acontecido enquanto ela estava “desligada”.

A descoberta pode ter imensas implicações para pacientes com epilepsia ou que estejam em estados semi-conscientes, mas é só o começo das pesquisas. Até agora, esse interruptor on/off foi testado em apenas um paciente. Mas identificar o local do cérebro onde fica o mecanismo de desligamento da consciência será crucial para que entendamos melhor como funciona o fluxo cerebral, como explica o pesquisador Christof Koch para a News Scientist:

Em última instância, se nós soubermos como ligar e desligar a consciência e que partes do cérebro estão envolvidas no processo, então nós poderemos entender quem faz o quê. Os robôs têm isso? E os fetos? Um gato ou um cachorro ou uma minhoca têm esse mecanismo? Esse estudo é incrivelmente intrigante, mas é só um tijolo no grande edifício da consciência que estamos tentando construir.

Talvez algum dia nós possamos adormecer ao desligar um interruptor localizado no fundo dos nossos cérebros.



quinta-feira, 17 de julho de 2014

Transformados pelo relacionamento


Artigo de Mateus Prates Mori, que gentilmente autorizou sua publicação aqui:

TRANSFORMADOS PELO RELACIONAMENTO

Já faz um tempo, ao menos na igreja onde congrego, ruminamos conversas intermináveis a respeito de relacionamentos. Porém, convenhamos, no geral, já sabemos o que os homens esperam de uma mulher e o que as mulheres esperam de um homem. Porém, não há como não admitir que há algo de errado conosco. Onde estamos falhando?

Além dos clichês que vemos por aí, ainda bem que, como cristãos, podemos ser autocríticos aplicando o conhecimento de Deus ao autoconhecimento e, consequentemente, a nossa condição desfavorável e indigna. Vejo que o que ocorre é uma antiga tática judaizante: esperar do outro algo que eu não cobro de mim mesmo. Mulheres elencam qualidades que desejam nos homens, como poder de decisão, gentileza, bom-humor, sensibilidade, paciência; e rejeitam defeitos como indecisão (bananice), grosseria, rabugice, indiferença e impulsividade. Homens por sua vez desejam submissão, companheirismo, suporte, admiração e cuidado; e rejeitam rebeldia, ciúmes, fofoca, espírito acusatório e dominação. OK! Sendo assim, como encontrar essa pessoa?

É nessa pergunta que mora o erro. Você não vai encontrar essa pessoa. Isso porque não estamos voltando os nossos olhos para a pessoalidade do relacionamento, e sim para o status do relacionamento. Ora, assim como o Pai nos aceita como somos, assim devemos aceitar aquele(a) que tomarmos a decisão de nos relacionar. O Pai nos aceita em Cristo Jesus e isso gera transformação; de igual modo devemos ser transformados durante o relacionamento.

Por favor, entendam! Não se espantem se eu disser para vocês não mudarem a si mesmos para serem aceitos por alguém. Essa mudança é falsa, mesquinha e egoísta; e digo mais, não procede de Deus e, sim, da sua vontade em ser aceito por alguém. Isso gera um impostor que não consegue se esconder por muito tempo, graças a Deus (caso você seja filho dEle). Não há mudança efetiva que possamos fazer para sermos aceitos. Isso é uma perversão do Evangelho.

Antes, se fomos resgatados do nosso fútil procedimento, especialmente agora não andaremos em novidade de vida, sendo transformados continuamente? Então como alguns de nós esperam que o outro seja formado completamente perfeito e não continuamente transformado rumo ao seio do Pai, através da operosidade da graça de nosso Senhor Jesus?

Sinceramente, estou cansado de escutar os inúmeros deveres e marcas de caráter que um homem e uma mulher devem ter. Onde está o diálogo sincero? Por que cosemos folhas de figueiras para esconder nossas vergonhas? Não deveríamos nos gloriar das nossas fraquezas para que em nós repouse o poder de Deus? Já tenho dito e insisto: você pode até gostar de uma pessoa por suas qualidades, mas, certamente, você a ama por seus defeitos. Verdadeiramente, você nunca será amado(a) porque você é amável; você é amável porque você é amado pelo Pai, em Cristo Jesus.

Então meus amados, não tentem procurar um amor baseado no que a pessoa tem a oferecer, mas no mesmo Cristo que te ama e que está nele(a). Lembremos que esse mistério já foi revelado, que é Cristo em vós, a esperança da glória (Cl 1.27); e não deturpem a referência de relacionamento que não seja nem libertina nem legalista, onde não reside qualquer sombra de relacionamento verdadeiro, mas em unidade de relacionamento com Jesus, sem o qual nada podemos fazer (Jo 15.5).



quarta-feira, 16 de julho de 2014

Asteroide com pirâmide negra se aproxima da Terra

Gente, a Copa já se foi e - depois de um mês de fortes emoções e da hecatombe brasileira - podemos voltar a fornecer material de sobra para os nossos queridos (e sempre atentos) "profetas do apocalipse" de plantão.

O fim do mundo da vez é um asteroide que se aproxima da Terra e - pasmem! - teria estranha formação piramidal de cor negra incrustada nele. 

Periga descer da "Estrela da Morte" uma espécie de faraó Darth Vader. Tremei, terráqueos!

Mas nem tanto, porque o corpo celeste em questão só chegará às nossas redondezas dentro de 170 anos, quando nenhum de nós estará mais por aqui.

Se é que vai chegar...

É que, apesar das imagens, já há muita gente dizendo que tudo não passa de mais um hoax, ou seja, um desses boatos infundados que rotineiramente são disseminados na internet. O e-farsas já fez uma refutação (clique aqui para lê-la).

Cá entre nós, é muito provável que esse meteoro do Darth Vader seja mesmo mais um hoax bem humorado, mas a premissa até que é divertida e pelo menos a gente pode brincar um pouco com ela, não é mesmo?

Como nenhum de nós estará por aqui para conferir a veracidade da informação (a não ser que Darth Vader engate uma dobra tipo Star Trek na sua Death Star), a gente divulga.

Enquanto isso, delirem à vontade com essa notícia da Voz da Rússia, com vídeo mais abaixo:

Asteroide com pirâmide negra 
vem chegando rumo à Terra

O satélite canadense Neossat captou imagens de um asteroide incomum que está se aproximando à Terra. O descomunal é uma estrutura jamais vista em outros asteroides, uma pirâmide negra sobre a sua superfície.

Segundo o International Business Times, que alega a Organização de Estudos Espaciais da Índia (ISRO, na sigla inglesa), que analisou as imagens do satélite canadense, o asteroide 1999 RQ36 leva sobre sua superfície uma pirâmide. Porém, a própria ISRO não comentou nada sobre o assunto, e no seu site nada consta do “asteroide dos extraterrestres”. Contudo, o vídeo de 1 minuto e 34 segundos publicado no YouTube e que vocês podem assistir em baixo da página, leva a sigla da ISRO.

A construção atraiu o interesse dos ufólogos, que não descartam a opção de que o asteroide esteja guiado por extraterrestres, devido a correções repetidas do seu rumo espacial.

Segundo a mídia, a pirâmide no corpo celeste foi descoberta pela ISRO em 29 de junho. O próprio asteroide é conhecido desde 1999. Várias fontes comentam que dentro de 170 anos aproximadamente, o 1999 RQ36 estará se aproximando ao nosso planeta.




terça-feira, 15 de julho de 2014

Kaká passa trote em Felipão


A charge é de um ano atrás, mas continua bem atual. Quem sabe o Kaká já tenha aprendido a disfarçar melhor quando passa um trote, né?




segunda-feira, 14 de julho de 2014

Papa não rezou pela Argentina na final da Copa

Papa "fake" não vence nem convence
A informação foi dada pelo blog do Sidney Rezende ontem, antes do jogo. Tá explicado, então:

Papa Francisco afirma que não vai orar pela Argentina na final

A seleção da Argentina sofreu um desfalque importante de última hora. Torcedor do San Lorenzo Almagro, o Papa Francisco afirmou que não vai recorrer aos céus para ver o tricampeonato da seleção do seu país.

O Pontífice prometeu neutralidade e não vai orar por nenhuma equipe. Por meio das redes sociais, Francisco elogiou a interação das pessoas nos Mundiais.

"Os Mundiais conseguiram promover o encontro das pessoas de várias nações e religiões. Que o esporte promova sempre a cultura do encontro."

Na grande final entre a Alemanha e Argentina, Francisco não assistirá à partida na companhia do seu antecessor, o alemão Bento XVI.



domingo, 13 de julho de 2014

Crise no Vaticano: só um papa será campeão hoje!


Matéria publicada no IHU:

Vaticano minimiza rivalidade de papas na final da Copa

Às vésperas do confronto entre Argentina e Alemanha na final da Copa do Mundo, o Vaticano minimizou nesta sexta-feira os rumores de rivalidade entre o papa Francisco, um argentino, e seu antecessor Bento 16, um alemão.

Em resposta à intensa especulação da mídia sobre a possibilidade de os dois verem a partida juntos, que chamou de “engraçada”, o Vaticano pediu aos torcedores que façam uma “pausa pela paz” antes da decisão de domingo para lembrar as vítimas da guerra e da pobreza.

Um funcionário do alto escalão do Vaticano, que trabalha com Francisco e com o papa emérito Bento 16, disse à Reuters que ainda não se tomou nenhuma decisão sobre como os dois passarão a noite de domingo.

Bento 16, notou a fonte, não gosta de futebol, mas acrescentou: “Vamos ver. A situação atual é inédita.”

O porta-voz do Vaticano disse não crer que Bento 16, atualmente com 87 anos e vivendo sua aposentadoria em reclusão em um ex-convento no Vaticano, assistirá ao jogo por causa do horário – em Roma a partida começa às 21h.

Já Francisco é fã de futebol. Ainda arcebispo de Buenos Aires, era torcedor entusiasmado do clube San Lorenzo, e foi membro honorário do time apelidado de Santos de Boedo, em função da vizinhança onde foi fundado em 1908 por um grupo de jovens que incluía um padre.

O Conselho de Cultura do Vaticano, que trabalha com esportes, classificou a especulação pré-jogo de “engraçada e divertida”, mas declarou que irá pedir um momento de silêncio no domingo para “pensar em coisas importantes” como a paz.

“Vamos fazer uma pausa pela paz”, disse o monsenhor Melcher Sánchez de Tosca y Alameda, subsecretário do conselho, anunciando a hashtag #PAUSEforPeace nas mídias sociais.

Sánchez se referia à tradição da Grécia antiga de interromper todos os conflitos durante os Jogos Olímpicos.

“Por que não para a Copa do Mundo? Por que não uma pausa, um momento de silêncio, uma trégua pela paz?”, indagou.

Um porta-voz do conselho disse que depende de cada torcedor, cada seleção e cada organização, incluindo a Fifa, se, como e quando querem observar um momento de “silêncio ou reflexão ou pausa” para lembrar os que estão sofrendo.

Por via das dúvidas, Francisco já está preparado para entrar em campo!




sábado, 12 de julho de 2014

Pesquisa americana sugere associação entre autismo e agrotóxico

Os dados não são conclusivos, mas o preocupante estudo publicado no IHU em 25/06/14 merece ser aprofundado:

Estudo americano aponta relação entre autismo e pesticidas

Uma mulher grávida que vive perto de uma fazenda onde são utilizados pesticidas tem 66% mais chances de ter uma criança autista, revelam pesquisadores da Universidade da Califórnia Davis em um estudo [Neurodevelopmental Disorders and Prenatal Residential Proximity to Agricultural Pesticides: The CHARGE Study] publicado nesta segunda-feira.

A reportagem foi publicada no portal da AFP e reproduzida por EcoDebate, 23-06-2014.

Esta pesquisa publicada na revista Environmental Health Perspectives analisa a associação entre viver perto de um lugar onde são usados pesticidas e os nascimentos de crianças autistas, apesar de não deduzir uma relação de causa e efeito.

O autismo é um transtorno de desenvolvimento que atinge uma em cada 68 crianças nos Estados Unidos. Um número crescente em relação a 2000, quando a desordem afetava uma em cada 150 crianças americanas.

Os pesquisadores compararam dados sobre a utilização de pesticidas na Califórnia na residência de 1.000 pessoas que participaram de um estudo de famílias com crianças autistas.

“Observamos onde viviam os participantes do estudo durante a gravidez e no momento do nascimento”, explicou um dos autores do estudo, Irva Hertz-Picciotto, vice-presidente do departamento de Ciências e Saúde Pública da Universidade Davis da Califórnia.

“Constatamos que foram utilizados vários tipos de pesticidas, em sua maioria perto das casas onde as crianças desenvolveram autismo ou distúrbios cognitivos.”

Cerca de um terço dos participantes do estudo vivia a entre 1,25 e 1,75 quilômetros de onde foram usados pesticidas.

Os pesquisadores também descobriram que os riscos foram maiores quando o contato com o pesticida se deu entre o segundo e o terceiro mês de gravidez.

O desenvolvimento do cérebro do feto poderia ser particularmente sensível a pesticidas, de acordo com os autores do estudo.

“Este estudo confirma os resultados de pesquisas anteriores que constataram ligações na Califórnia entre o fato de uma criança ter autismo e estar exposto a produtos químicos agrícolas durante a gravidez”, indicou Janie Shelton, co-autora do estudo.

“Apesar de ainda termos que ver se alguns subgrupos são mais sensíveis do que outros a exposição a pesticidas, a mensagem é clara: as mulheres grávidas devem prestar atenção e evitar qualquer contato com produtos químicos agrícolas.”



sexta-feira, 11 de julho de 2014

Novo filme sobre o Êxodo chegará às telas brasileiras no Natal


Nessa era de efeitos digitais que, a bem da verdade, substituem as atuações e os roteiros no cinema, chega mais um filme com temática bíblica, "Exodus - Gods and Kings" ("Êxodo - Deuses e Reis"), cuja estreia está prevista para o dia 25 de dezembro (sim, no Natal!) aqui no Brasil.

Parece que a computação gráfica se tornou uma grande aliada de Hollywood na tarefa de refilmar grandes clássicos inspirados na Bíblia, como o recente "Noé".

Afinal, o sucesso de bilheteria é garantido, o que não pode se dizer a respeito da fidelidade à narrativa bíblica, já que há que agradar uma geração que não vai mais à igreja (até porque fica sentada na frente do computador) e pode não saber do que o filme está falando.

Pelo trailer abaixo, disponibilizado anteontem, 09/07/14, pela 20th Century Fox, você pode perceber que a nova produção inspirada no livro de Êxodo tem lá uma certa linguagem de videogame, uma mescla assim, digamos, de Assassin's Creed com League of Legends mais preocupada - talvez - em atingir esse público jovem não necessariamente religioso.

A julgar pelas imagens do trailer, os bons tempos dos sensacionais (à época) efeitos especiais de "Os Dez Mandamentos" (1956), dirigido por Cecil B. DeMille e com Charlton Heston no papel principal (Moisés, caso você não se recorde) e Yul Brynner como faraó, lembrarão algo parecido como uma televisão a lenha.

"Exodus - Gods and Kings" tem Christian Bale no papel de Moisés (com visual gamer de Prince of Persia) e Joel Edgerton como o faraó Ramsés, sob a direção de Ridley Scott.

Aliás, a filmografia de Ridley Scott dá uma ideia do tipo de abordagem que ele prefere. No extenso currículo do diretor, você pode encontrar blockbusters como "Alien, o Oitavo Passageiro (1977)", "Blade Runner, o Caçador de Androides" (1982), "Thelma e Louise" (1991), "1492 - A Conquista do Paraíso" (1992), "Gladiador" (2000) e "Cruzada" (2005).

Confira o trailer então:




quinta-feira, 10 de julho de 2014

Papa pede perdão pessoalmente a 6 vítimas de pedofilia

Matéria publicada no Brasil Post:

Papa pede desculpas a vítimas de abuso sexual por parte de clérigos

O papa Francisco disse às vítimas que sofreram abuso sexual por parte de clérigos católicos que a igreja deveria "chorar" pelos crimes e "reparar as injustiças" que, segundo ele, assumiram a dimensão de um culto sacrílego.

"Há algum tempo eu sinto em meu coração profunda dor e sofrimento", disse ele em seus comentários mais incisivos sobre os crimes, feitos em uma missa com vítimas adultas. "Tanto tempo escondido, camuflado com uma cumplicidade que não pode ser explicada, até que alguém percebeu que Jesus estava olhando."

O papa Francisco fez a homilia para seis vítimas de abuso: duas da Irlanda, duas da Grã-Bretanha e duas da Alemanha, antes de conhecer cada uma individualmente em uma reunião que durou quase quatro horas, permanecendo cerca de 30 minutos com cada um.

"Eu peço a graça de chorar, a graça de a Igreja chorar e fazer a reparação pelos seus filhos e filhas que traíram a sua missão, que abusaram de pessoas inocentes", disse ele, de acordo com uma transcrição do Vaticano.

"Diante de Deus e de seu povo eu expresso a minha tristeza pelos pecados e crimes graves de abuso sexual que padres cometeram contra vocês. E eu humildemente peço perdão", disse.



quarta-feira, 9 de julho de 2014

Festa alemã no Brasil


Das 31 seleções estrangeiras que vieram ao Brasil para disputar a Copa do Mundo 2014, talvez nenhuma tenha se sentido tão em casa como a alemã.

No fundo, nem eles imaginavam que a seleção brasileira jogaria tão mal e levaria a goleada impiedosa que tomou ontem no Mineirão. Mesmo assim, merecem todo nosso respeito e admiração.

Visivelmente constrangidos com o vexame brasileiro do qual foram protagonistas, voltaram ontem à noite para Santa Cruz Cabrália, na Bahia, onde esbanjam simpatia há um mês, conforme você pode ver no vídeo abaixo, produzido pela própria federação alemã e divulgado antes da partida em que atropelaram o Brasil:







terça-feira, 8 de julho de 2014

Máfia italiana se revolta contra o papa


Depois que o papa excomungou os mafiosos italianos, azedaram as já complicadas relações entre a máfia e o Vaticano, conforme noticia o IHU:

A ‘Ndrangheta se rebela contra o papa Francisco pela excomunhão

Cerca de 200 mafiosos presos no presídio de segurança máxima de Larino, na região de Molise, decidiram neste domingo não ir à missa em protesto contra a decisão do papa Francisco de excomungar a ‘Ndrangheta, a feroz máfia calabresa, depois do assassinato, em janeiro passado, de uma criança de três anos em um ajuste de contas com sua família. Ao mesmo tempo, em Oppido Mamertina, um povoado de apenas 6.000 pessoas na região da Calábria, os responsáveis por uma procissão decidiram inclinar a imagem da Virgem Maria na frente da casa de um velho capo, condenado à prisão perpétua pelos crimes de extorsão e assassinato, a despeito dos protestos do capitão dos Carabinieri e dos agentes que, até aquele momento, tinham escoltado o cortejo religioso.

A reportagem é de Pablo Ordaz, publicada por El País, 06-07-2014.

É a resposta, por enquanto sem derramamento de sangue, da ‘Ndrangheta, uma organização mafiosa que inclui em sua simbologia termos e devoções cristãs, às duras palavras que o papa Francisco, diante de mais de 200 mil fiéis, pronunciou há duas semanas em Cassano allo Jonio, o povoado de Cocò, o menino assassinado e queimado junto com seu avô dentro de um carro. “A ‘Ndrangheta”, disse o Papa, “é a adoração do mal, o desprezo ao bem comum. Tem de ser combatida, afastada. E a Igreja tem de ajudar mais. Os mafiosos não estão em comunhão com Deus. Estão excomungados”. Nunca um Papa tinha chegado ao extremo de negar a comunhão, o castigo mais grave para um fiel, aos mafiosos de forma coletiva.

Os responsáveis por uma confraria de Reggio Calabria inclinaram a imagem da Virgem na frente da casa de um capo

O tradicional silêncio, e até a permissividade, da Igreja católica diante das quatro grandes máfias que funcionam na Itália —a Cosa Nostra siciliana, a Camorra napolitana, a ‘Ndrangheta calabresa e a Sacra Corona Unita, da Puglia— só havia sido quebrado por João Paulo II em maio de 1993, durante uma visita à Sicília. A reação da Cosa Nostra, na época sob a direção do sangrento Totò Riina, foi terrível. Durante o verão seguinte explodiram duas bombas em igrejas de Roma e em setembro foi assassinado em Palermo o sacerdote Pino Puglisi, conhecido por sua luta contra a Máfia.

A reação na época, como a que começa a se forjar agora, demonstra que os mafiosos italianos, e em especial os da ‘Ndrangheta, precisam que o caminho entre a casa do capo e a casa do padre continue transitável, a prova de que a paz social ou o medo — tanto faz — continua protegendo sua atividade e ainda outorgando a eles uma aura de respeitabilidade. Os presos de Larino se dirigiram ao capelão e propuseram o desafio: “Se fomos excomungados, não vale a pena irmos à missa”.

O monsenhor Giancarlo Bregantini, arcebispo de Campobasso e anteriormente bispo de Locri, localidade da Calábria da qual teve de sair depois de ser ameaçado de morte pela ‘Ndrangheta, afirmou na Rádio Vaticano: “É uma coisa surpreendente, cerca de 200 mafiosos da área de alta segurança se rebelando por uma frase do Papa. Isso confirma que Francisco, apenas com suas palavras, desperta a consciência das pessoas. O capelão me chamou para contar e para pedir que eu vá à prisão explicar as palavras do Papa para os presos”.

O desafio também acontece nos povoados dominados pelo crime. De nada serviu aos responsáveis pela procissão da Virgem das Graças, da localidade de Oppido Mamertina, que o capitão dos Carabinieri, Andrea Marino, os advertisse antecipadamente de que não permitiria nenhum ato de cumplicidade com a ‘Ngrangheta. Quando a procissão chegou à frente da casa de Giuseppe Mazzagatti, um capo de 82 anos condenado à prisão perpétua que se encontra em prisão domiciliar por problemas de saúde, o padre e a corporação municipal permitiram que a imagem da Virgem fosse inclinada em sinal de respeito.

O capitão Marino ordenou a seus agentes que abandonassem o lugar em sinal de protesto, enquanto o restante dos espectadores, por medo ou cumplicidade, permaneceram no local. O ministro do Interior, Angelino Alfano, qualificou os fatos de “um ritual repulsivo”. Há apenas alguns dias soube-se que exatamente o arcebispo de Reggio Calabria, monsenhor Giuseppe Fiorini Morosini, propôs ao Papa a suspensão — ainda que temporária — do apadrinhamento nos batismos e confirmações “para criar obstáculos ao uso da Igreja por parte da ‘Ndrangheta”. A máfia calabresa continua usando as cerimônias religiosas para confirmar as alianças criminosas entre as famílias.



LinkWithin

Related Posts with Thumbnails