quarta-feira, 30 de julho de 2008

De pedágio em pedágio - 2

(atualizado em 14/07/2014)

Reparei que muitas pessoas chegam a este blog através do Google, pesquisando por alternativas que permitam fugir dos preços escandalosos dos pedágios da Rodovia Castello Branco, e outros que procuram saber quantos pedágios existem na Raposo Tavares, especialmente entre Itapetininga e Ourinhos, onde eles (ainda) não existem, e no trecho Bauru - Santa Cruz do Rio Pardo - Ourinhos - Assis - Presidente Prudente, que já foi privatizado em 17/03/09 para a concessionária CART, o que tornou a viagem entre Ourinhos e São Paulo ainda mais cara (veja a comparação mais abaixo). 

Em relação a este último trecho, clique no mapa abaixo para ter uma noção de onde estão as novas praças de pedágio que proporcionam esta nova despesa aos cidadãos que já pagam imposto adoidado:



Veja agora os valores que incluem a SP 225 e a SP 327 (Bauru-Piratininga-Santa Cruz do Rio Pardo-Ourinhos), estradas que ligam o final da Castello Branco a Ourinhos, e também o trecho da Raposo Tavares até Presidente Epitácio:

SP 225 - km 251 - R$ 3,80 - Piratininga
SP 225 - km 300 - R$ 4,30 - Santa Cruz do Rio Pardo
SP 327 - km 014 - R$ 5,20 - Ourinhos
SP 270 - km 413 - R$ 6,20 - Palmital
SP 270 - km 454 - R$ 6,10 - Assis
SP 270 - km 512 - R$ 3,80 - Rancharia
SP 270 - km 541 - R$ 4,80 - Regente Feijó
SP 270 - km 590 - R$ 5,50 - Presidente Bernardes
SP 270 - km 639 - R$ 3,90 - Caiuá

Os valores acima são cobrados nos dois sentidos (interior e capital). Motocicletas também pagam pedágio, na metade do valor em cada local acima. Na dúvida, consulte-os pelo telefone 0800-773- 0090 ou pelo site deles.

Neste trecho (Santa Cruz do Rio Pardo - Ourinhos - Assis - Presidente Prudente - Presidente Epitácio), infelizmente, não há como escapar dos pedágios.

No trecho São Paulo - Ourinhos, entretanto, considerando que todo cidadão tem o direito de opor-se à cobrança abusiva de pedágios, e procurar maneiras lícitas e econômicas de desviar deles, resolvi escrever uma espécie de manual de sobrevivência a essa tunga indecente, que conseguiu piorar (a partir de 07/07/14) com o novo pedágio no km 79 da Raposo Tavares (em Alambari), que agora cobra absurdos R$ 6,70 nos dois sentidos. Antes era R$ 8,80 apenas no sentido capital, e não há registro de que alguém (nem o Ministério Público) tenha se disposto a investigar mais essa vergonha paulista.

Primeiramente, é necessária uma comparação das tarifas de pedágio nas duas rodovias em questão, considerando apenas os veículos de passeio, em valores de julho de 2014 (atualizamos em 14/07/14 - a atualização da tarifa é anual, todo mês de julho):



1) Rodovia Castello Branco:

1.a) Sentido Interior

km 18 – Alphaville – R$ 3,50
km 33 – Itapevi – R$ 7,00
km 111 – Boituva – R$ 7,90
km 158 – Quadra – R$ 10,80
km 208 – Serra de Botucatu – R$ 10,80
km 278 – Iaras – R$ 7,30

SP 225 - km 300 - R$ 4,30 - Santa Cruz do Rio Pardo
SP 327 - km 014 - R$ 5,20 - Ourinhos

Total Interior = R$ 56,80


1.b) Sentido Capital

SP 327 - km 014 - R$ 5,20 - Ourinhos
SP 225 - km 300 - R$ 4,30 - Santa Cruz do Rio Pardo

km 278 – Iaras – R$ 7,30
km 208 – Serra de Botucatu – R$ 10,80
km 158 – Quadra – R$ 10,80
km 111 – Boituva – R$ 7,90
km 74 – Itu – R$ 9,60
km 20 – Alphaville – R$ 3,50

Total Capital = R$ 59,40

Total ida e volta = R$ 116,20




2) Rodovia Raposo Tavares:

2.a) Sentido Interior

km 46 – Vargem Grande Paulista– R$ 7,60
km 111 – Araçoiaba – R$ 3,20
km 79 - Alambari - R$ 6,70 (começou a cobrar em 07/07/14)

Total Interior = R$ 17,50

2.b) Sentido Capital

km 135 – Alambari – R$ 6,70
km 111 – Araçoiaba – R$ 3,20
km 79 – Alumínio – R$ 7,00

Total Capital = R$ 16,90

Total ida e volta = R$ 34,40




Percebe-se, portanto, que a economia de pedágios, para quem troca a Castello Branco pela Raposo Tavares no trecho São Paulo - Ourinhos, pode chegar a R$ 81,80, valor que pode ser utilizado para encher um tanque de álcool, por exemplo. 

Existe, ainda, uma ótima opção para quem viaja em direção à capital e tem moderada pressa em chegar. Para evitar os lentos trechos urbanos de Alumínio e Mairinque (atravessar São Roque, Vargem Grande e Cotia está mais fácil agora), o motorista pode entrar no acesso (Rodovia José Ermírio de Morais - "Castellinho") à Castello Branco que existe no km 91 da Raposo Tavares, em Sorocaba. 

São 18 km livres de pedágio até a Castello (só se paga R$ 5,40 na Castellinho no sentido inverso, daí não ser vantagem fazer o caminho contrário). Depois, ao invés de pagar R$ 7,00 em Alumínio, se pagam R$ 9,60 em Itu e R$ 3,50 em Alphaville, o que favorece quem tem mais pressa e menos paciência. 

Para conferir e obter os valores atualizados das tarifas de pedágio no estado de São Paulo, consulte o site da ARTESP .

A Raposo Tavares é uma boa opção para quem sai para viajar com tranquilidade, de preferência durante o dia, e fora dos horários de pico. Além do trecho inicial ser bastante movimentado até Cotia, existe um tráfego intenso de caminhões nos 50 km que separam Sorocaba de Itapetininga, que já foi completamente duplicado, embora ainda exista rescaldos de obras em alguns trechos, o que não prejudica a fluidez do tráfego.

O problema não é tanto o número de caminhões, que não é tão grande assim, mas a sanha arrecadadora do governo do Estado mancomunado com as concessionárias, que fazem de tudo para você pegar a caríssima Castello Branco.

Na Raposo Tavares como um todo, evite toda e qualquer tentação de desrespeitar os limites de velocidades ou ultrapassar na faixa dupla, pois a chance de você ganhar uma multa é muito grande. A Polícia Rodoviária está sempre de tocaia esperando os motoristas incautos e impacientes.

Aliás, eu nunca vi os policiais multando caminhões por estarem abaixo da metade da velocidade permitida para o local (100 km/h em quase toda a Raposo, salvo os trechos em obras, onde baixou para 80 km/h - preste bastante atenção).

Portanto, resista bravamente à tentação de ultrapassar na faixa dupla. Tome cuidado também com os radares escondidos. Não são muitos, mas sempre estão por lá.

A estrada está em boas condições em quase toda a sua extensão. O trecho entre Ourinhos e Piraju foi recapeado em 2010, mas as chuvas desde então deixaram a pista consideravelmente avariada especialmente nos cerca de 35km entre Piraju e Ipaussu, o que revela o descaso do Governo do Estado com o dinheiro público, ao pagar dezenas de milhões de reais por um serviço que não durou nem um ano (o trecho foi recapeado algumas vezes desde então e já está bem transitável, mas tenha especial cuidado na estação das chuvas).

Evite passar à noite por este trecho em especial e tenha muito cuidado, porque alta velocidade e desatenção podem comprometer a segurança e a manutenção do veículo. Outro trecho que continua significativamente comprometido é entre Angatuba (km 204) e Itaí (km 275).

Recomenda-se atenção redobrada nas terceiras faixas (há poucas, em geral com dificuldades) e nos trevos em elipse (alongados), não só com os muitos treminhões de cana-de-açúcar como com os muitos buracos que eles sempre deixam por lá. Ali, em especial, jamais ultrapasse com faixa dupla, mesmo com total visibilidade, pois há sempre um policial à espreita.

Com relação a postos de serviço, há boa oferta de combustível, mas nem tanto de serviços e alimentação para uma parada mais agradável. Não espere encontrar um Rodoserv na Raposo Tavares. Não há, infelizmente. 

O melhor posto é o antigo Tibiriçá, no km 244, na entrada para Paranapanema, que foi comprado pela rede Graal e recentemente reformado, e agora se chama Graal Holandês.

Não se sabe o gênio do Graal que trocou o brasileiríssimo nome Tibiriçá (com décadas de tradição) para Holandês, provavelmente em homenagem ao distrito de Holambra II que fica a 10km, ao qual você pode fazer uma visita agradável se não estiver com muita pressa.

Nada contra os holandeses, diga-se de passagem, mas se a rede Graal quisesse homenageá-los era só colocar um moinho na frente do posto (o que já foi feito, inclusive), onde também se pode comer um lanche ou fazer uma refeição em condições razoáveis (embora os preços, antes justos, agora seguem o padrão Graal de inflação). Pelo menos tiveram a boa ideia de montar uma pequena loja de produtos típicos da Holanda, com produtos simpáticos e preços convidativos.

Outras boas opções para se alimentar, além do Tibiriçá (vai demorar até eu aceitar chamá-lo de Graal Holandês), são o também antigo Borssato (agora se chama Siquelero, no km 159, nas duas direções), o Piraju (km 325) e um restaurante caipira no km 352, entre Chavantes e Ipaussu (que tem uma comida honesta, mas com pouca personalidade e variedade).

O Posto Jurumirim, no km 309, de gloriosa tradição nos anos 60 e 70, antes do prolongamento da Castello Branco, passou por uma longa reforma, e é uma opção razoável para suas refeições. A cozinha do Jurumirim é visivelmente limpa (você pode vê-la através das vitrines dos amplos balcões), mas os banheiros são sofríveis. E o atendimento é dos piores.

Se você faz questão de banheiros rigorosamente limpos, o melhor, disparado, é o do Trevo-Itaí (km 280), onde a comida é boa também, embora sem muita variedade. No quesito "banheiro limpo", destaca-se também o Tibiriçá, recentemente reformado. O Jurumirim chegou a ter banheiros limpos logo após a reabertura, mas ultimamente tem deixado muito a desejar.

Quanto ao abastecimento de combustível, aproveite o Carrefour do Iguatemi - Esplanada Shopping de Sorocaba (km 100 – do lado do Extra e do Íbis Hotel, a 200m do trevo - preste muita atenção nas placas indicativas, a construção das marginais da Raposo em Sorocaba faz com que o acesso seja feito pela via marginal muito antes do shopping). Lá a qualidade é garantida a bons preços, o que não ocorre em toda a rodovia, e você ainda tem a opção do próprio supermercado e do shopping todo para lazer e alimentação.

A melhor parte de viajar pela Raposo Tavares é a paisagem. O rio Paranapanema serpenteia a rodovia a partir do km 230, onde ele ainda é uma várzea e ali existe uma vila de pescadores que vendem peixes à beira da rodovia.

Depois vêm as grandes represas das usinas de Jurumirim, Piraju e Chavantes, num trecho onde o tráfego é bastante leve e o espetáculo da natureza é garantido. Por isso, também, é melhor passar pela Raposo durante o dia, para apreciar o que ela tem de melhor.

À noite, as condições de visibilidade não são tão boas entre Angatuba e Itapetininga, há muitos ônibus escolares e de trabalhadores rurais, e ainda existe a possibilidade de atropelar um tamanduá na pista, como indica o texto anterior deste blog. Melhor preservar a fauna e curtir a viagem tranquilamente.

Pagando menos, de preferência. Até porque eu não sou contra pedágios; só quero que cobrem um preço justo.

10 comentários:

  1. E pensar que tudo começou com Mário Covágio, o maníaco do pedágio.

    ResponderExcluir
  2. Se Mário Covágio tivesse carro,e parentes distantes, não teria uma idéia tão absurda e inconveniente para prejudicar o povo.Mas o que eu adimiro é os brasileiros constroem as estradas depois privatizam para empresas americanas européias etc,difícil uma empresa brasileira assumir uma obra desta ...


    SP 20 de novembro de 2008.

    ResponderExcluir
  3. Olá Pessoal. SEgui estes conselhos e saí de SP para Tupã-SP no dia 22 de dezembro de 2009 e fiz o seguinte trajeto: Saí do Butantã e peguei a RT sentido interior... meio chatinha, muitas curvas e caminhões até Sorocaba, depois fica filé..... haviam momentos que eu estava sozinha na estrada.... isso as 10h00 da manhã em plena terça feira... fui até ourinhos e só paguei 2 pedágios... nem acreditei.... depois peguei a transbrasiliana, sentido marilia.. um PISTAO... sem nenhum buraco.. só uma serrinha mas nada de anormal...... tem um pedagio já chegando em marília que custa 2,80..... ao todo gastei 6,00 +2,50+2,80..... mto barato mesmo... se fosse optar ir prla castello ou pela marechal rondom, saindo pela 99A da castello eu estaria fudd...... ACONSELHO A TODOS QUE NÃO TEM MUITA PRESSA EM CHEGAR AO SEU DESTINO, como já disse, o trechinho até sorocaba eh mto embaçado.. o ideal eh parar em São Roque e comprar um vinhozinho para acalmar o stress da estrada sinuosa ;)

    ResponderExcluir
  4. E ai pessoal.Agradeço as dicas passadas por vocês,fui viajar para o Pr(Maringá) e como estava com familia e crianças,optei pela Castelo Branco,até Ourinhos foram 7 pedagios(sendo que os 2 novos na chamada Castelinho são muito perto um do Outro.E aí vem a facada(grana)do valor da soma de todos os pedagios,Não é mole não..
    Mas agora tentarei ir pela RT,seguindo os seus conselhos.qaundo voltar colocarei a minha opinião.
    Um feliz Ano novo a Todos e continuem com estas dicas,elas ajudam muito..
    obrigado

    ResponderExcluir
  5. Feliz Ano Novo, amigo!

    A Raposo Tavares é mesmo uma excelente opção para quem não tem pressa de chegar e entre os bônus está o fato de desfrutar da paisagem e, melhor ainda, ser roubado muito menos.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Raposo realmente é para quem não tem "PRESSA" de chegar,para os apressadinhos poide ser "MORTAL" para ele e para os outros....
    MUITO,MUITO cuidado nas ULTRAPASSAGENS,onde não é perigoso sempre tem um AMIGO Patrulheiro rodoviario escondido para foder seu PASSEIO,uma multinha ou uma "ONÇA" para ele!rsrsrsr...

    ResponderExcluir
  7. Obrigado pelo comentário, W@gxis!

    De fato, a Raposo Tavares não serve para quem tem pressa. Entretanto, já há mais de dois anos viajo constantemente por este trecho entre Ourinhos e Sorocaba, e não vi nenhum acidente. O último acidente grave que tive notícia pela TV aconteceu perto de Angatuba no fim de 2009, devido às chuvas excessivas, segundo a primeira impressão das autoridades.

    Por outro lado, percebi que nos últimos meses, especialmente no fim do ano passado, houve um pequeno aumento de tráfego na Raposo, muito provavelmente pela farra dos pedágios em SP. De qualquer maneira, não chegou a prejudicar significativamente o trânsito na via, em especial de Itapetininga a Ourinhos, que segue muito tranquilo.

    Infelizmente, toda esta dificuldade, inclusive de ausência de 3ª pista no trecho entre Itapetininga e Sorocaba, com as longas faixas contínuas e as tocaias da Polícia Rodoviária, se deve à tática do governo estadual - em parceria com as concessionárias -, de obrigar os cidadãos paulistas a pagarem os abusivos pedágios da Castello Branco.

    Portanto, se você não estiver com pressa, aproveite a via mais barata oferecida pela Raposo, e siga resistindo à sanha arrecadadora do Serra e das concessionárias.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. A RAPOSO TAVARES, NO TRECHO ENTRE ASSIS E PRESIDENTE PRUDENTE, TEM CONDIÇÕES DE NÃO PAGAR PEDÁGIO NESSE TRECHO, ASSIM... EM ASSIS VOCE PEGA A RODOVIA MANILO GOBBI (ASSIS x PARAGUAÇÚ PAULISTA) E SEGUE EM FRENTE (QUATÁ JOÃO RAMALHO, RANCHARIA, ORIENTE, MARTINÓPOLIS, INDIANA E PRESIDENTE PRUDENTE) A NESSE TRECHO ESTA EM REFORMA, MAS COM BOA CIRCULAÇÃO, PISTA SIMPLES, CAMINHÕES, E NENHUM PEDÁGIO...
    VALEU...

    ResponderExcluir
  9. se voce está em campinas sp e quer ir prá ourinhos sp voce só paga um pedágio. anote aí: voce sai de campinas e entra em sumaré,nova odessa,americana,sta barbara do oeste, piracicaba,águas de são pedro,são pedro,sta maria da serra, antes de torrinha, dois córregos, mineiro de tiete, jaú, pedágio no rio tiete, bauru, segue um trechinho da marechal rondon entra prá gália, sentido lupércio,br 153, voce chega em ourinhos gastando 8,40
    dhéo

    ResponderExcluir
  10. Muito bacana a idéia de compartilhar rotas alternativas pra quem não quer sofrer com a extorsão desse Governo. No trecho entre Assis e Presidente Prudente, sem pedágios, via SP-280 ou 284 (Rodovia Manílio Gobbi), não passa por Oriente não. O trecho correto é Paraguaçu, Quatá, João Ramalho, Rancharia, Martinópolis e Prudente. A pista está em reformas, mas já em boas condições. É interessante tomar cuidado no trecho entre Rancharia e Martinópolis, pois estavam ficando lá policiais rodoviários com radar, exigindo a ridícula velocidade máxima de 60km/h, alegando ser regra do Contran pra vias em reforma. Isso em dezembro/2012, fato gerado por críticas severas de um jornalista de Presidente Prudente que vinha descendo a lenha. Daí o bonitão da Rodoviária lançou essa e fez muita gente ter que fazer curso, devido ao fato de ser fácil exceder em 20 ou 30% a velocidade especificada acima, tudo por causa dessa briguinha com o jornalista, jogou tudo nas costas dele.

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar O Contorno da Sombra!
A sua opinião é bem-vinda. Comentários anônimos serão aprovados desde que não apelem para palavras chulas ou calúnias contra quem quer que seja.
Se você ainda não fez isso, sugerimos que você se cadastre no IntenseDebate (http://intensedebate.com/), que é a melhor plataforma para opinar em blogs, fóruns e sites.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails