quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Família processa médium que "psicografou" livro sobre o acidente da TAM

Tem hora que o bom senso faz uma falta danada não só a alguns "evangélicos", mas também a outros tantos "religiosos". Tome um sal de frutas antes de ler a notícia abaixo, do jornal Diário da Região, de São José do Rio Preto (SP):


Família processa médium por livro sobre acidente da TAM


Mãe de duas vítimas da tragédia do voo JJ 3054, da TAM, Carmen Caballero ingressou com ação na Justiça de Rio Preto para recolher os exemplares e impedir uma nova edição do livro “Voo da Esperança”, escrito pelo médium Woyne Figner Sacchetin , que narra o acidente que causou a morte de 199 pessoas em 18 de julho de 2007. Além de suas filhas Júlia Elizabete, 14, e Maria Isabel Caballero Gomes, 10, a explosão matou também sua mãe Maria Elizabete Silva Caballero, 65 anos.

Uma das teses apresentadas no livro é que todos os passageiros morreram na explosão da aeronave porque tinham débito em suas vidas passadas. Eles seriam “os algozes da Gália”, membros de um exército mercenário romano que, 60 anos antes de Cristo, teriam queimados pessoas vivas. “Ontem vocês queimaram seres humanos, hoje veem seus corpos queimados”, diz um dos trechos da obra, ditada ao autor, segundo ele, pelo espírito de Alberto Santos Dumont.

O livro descreve o acidente aéreo do ponto de vista espírita. “A providência divina, em sua sabedoria infinita, não colocou neste avião espíritos inocentes, mas almas seriamente comprometidas com um passado de erros”, diz outro trecho. O advogado de Carmen, Marco Aurélio Bdine, afirma que o autor não pediu autorização à família para publicar o livro. “Ele não cita os nomes, mas o contexto deixa claro que se trata da família Caballero”, diz. O livro faz referência a uma avó e duas crianças: “ela saiu do meio das chamas, segurando pelas mãos duas meninas que, antes desesperadas, agora quase sorriam felizes agarradas à mão da avó”.

O advogado diz que o autor descreve uma das vítimas como “professora aposentada” e natural do Rio Grande do Sul, terra natal de Maria Elizabete. Outra parte diz que “as feições se iluminaram quando reconheceu o moço ao lado: era seu filho, desencarnado (...) vítima de um (...) acidente automobilístico”. De acordo com Bdine, o texto faz uma menção indireta a um dos filhos de Elizabete, morto de acidente de trânsito.

Bdine afirma que a família ficou profundamente abalada ao ler o livro. “Todos ficaram desolados ao ler o livro. Eles estão tentando seguir em frente após a tragédia, se tranquilizar, mas a publicação trouxe todo o sofrimento de volta.” Além de recolher os exemplares, ele pede uma indenização no valor de mil salários mínimos (R$ 465 mil) por danos morais. “Fiz um pedido liminar para que a recolha dos exemplares seja realizada antes do julgamento da ação, que pode demorar.” O Airbus que vinha de Porto Alegre e pousaria no aeroporto de Congonhas se chocou contra o prédio da TAM Express.

Outro lado

Procurado pela reportagem, o autor Woyne Figner Sacchetin afirmou que não foi comunicado sobre o processo e que não identificou nenhuma das pessoas. “Não tem o nome de ninguém no livro.” Ele se recusou a dar mais informações sobre a obra, pois estava viajando e só atenderia o Diário pessoalmente.

‘Espírito um dia colhe o que planta’

No espiritismo, a morte de uma pessoa pode ser encarada como um “pagamento” por uma ação realizada no passado, segundo explica a presidente da União das Sociedades Espíritas de Rio Preto, Nair Rocha Soares. “Acreditamos no princípio da reencarnação. Um espírito tem muitas vidas. O que ele planta em cada uma dessas vidas será colhido depois”, diz. De acordo com Nair, tais consequências não podem ser encaradas como um castigo, e sim como resgate. “Se uma pessoa morre nessa encarnação para pagar um erro do passado, isso não é uma punição.

O objetivo do espírito é atingir a perfeição. A cada resgate, o espírito fica mais depurado.” Nair afirma, ainda, que não se pode confundir a idade da pessoa com a do espírito. “É muito comum acharmos injusto quando uma criança morre. Mas não sabemos quantos anos o espírito dela tem e o que já fez durante esse tempo.”

Dor

Apesar das explicações da doutrina espírita, Nair diz que a dor diante da morte sempre é grande. “É muito difícil lidarmos com a reencarnação. Mas ao mesmo tempo temos um consolo, pois acreditamos que a pessoa não morreu e que um dia o reencontro irá acontecer.”


5 comentários:

  1. Que absurdo!!

    Como alguém concente a publicação desse tipo de material ??


    É mais um infeliz querendo se promover às custas do sofrimento alheio.

    É vergonhoso, deprimente!!

    E pior... sabemos que há muitas pessoas que acreditam em tudo o que leem por ai...


    Espero mesmo que as familias saiam vitoriosas!!!!!

    ResponderExcluir
  2. ola meu irmao em cristo helio. aqui e o lucas. vou comentar: eu achei um absurdo. que crueldade que ela fala. ele fala como se deus tivesse posto as pessoas ali para morrer! que absurdo. deus e amor ele jamais permitiria tal coisa. outra: acreditar nisto e negar a plena salvaçao e ato de amor que cristo fez por nós. entao para que cristo morreu se a gente iria se purificar ? soldado do batalhao de leoes participantes das carnificinas na galia? sem comentarios...

    ResponderExcluir
  3. Oi, Lucas!

    Infelizmente, falta uma coisa simples em muita gente: bom senso. Em todas as religiões há pessoas que se julgam "iluminadas", detentoras de uma "verdade" que só eles conhecem e estão autorizados a divulgá-la. Isso tem um nome um pouco difícil, mas que, depois que a gente conhece, resume bem essa tendência nociva: GNOSTICISMO.

    "Gnose" significa "conhecimento" em grego, mas não aquele conhecimento verdadeiro, que nós, como cristãos, sempre procuramos em Deus com toda submissão e humildade. o Gnosticismo é o amor ao "conhecimento" que a pessoa tem, por se achar "iluminada" por alguma divindade, que a autorizou a falar em nome dela. O gnosticismo foi um grande problema no começo do cristianismo, inclusive o apóstolo João escreveu o evangelho e suas 3 cartas justamente para combater os gnósticos.

    Pois é, 2.000 anos se passaram e continuamos vendo os gnósticos com outras roupagens, inclusive dentro das igrejas evangélicas, infelizmente, pois há muitos falsos profetas que se julgam especiais demais para se submeterem ao verdadeiro conhecimento de Deus, e por isso ficam arranjando profetadas de 5 em 5 minutos.

    Que Deus tenha misericórdia de todos nós!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Não faça aos outros o que não quer para você. Isso já é antes de Jesus este alerta pelo filósofolo Confúsio. A dor que causou ao seu irmão,vai ser a mesma em você. Dois mil anos no nosso tempo é muito, mas no do espírito ainda é hoje.Não existe tempo para resgatar um padecimento causado a outro. O que existe tempo que Deus dá para que o espírito amadureça e evolua, só daí e que o espirito concientiza do mal que fêz e se arrependa do que fez, porque seu perispirito está impregnado de substâncias negativas e tem que fazer essa limpeza para poder purificar, e isso só faz reencarnando e resgatando o mal que fez.Só depois disso o espirito esta quites e podemos dizer " bem aventurados aqueles que sofrem ".A caminhada do espirito é longa e lenta tem muitos tropeços para depois chegar nos acertos.
    Todos espíritos erraram no passado e também em livros da psiquiatra Maria Teodora Filhos das estrelas e a seguência deste livro também que nós no passado fizemos muitas barbaridades antes de chegar os dias de hoje. A regressão das vidas passadas, também diz que nós tivemos outras encarnações antes desta e muitas coisas feitas no passado tem reflexo na vida presente.
    Se Deus é justo e bom, porque da uma vida maravilhosa a uns e a outros dá dor e sofrimento sem razão aparente.Quando se tem tragédias como essas, a gente ouve que pessoas perderam o avião e depois a pessoa fica sabendo do ocorrido e diz graça a Deus,Deus foi bom para ele. Porque Deus foi bom para ele e deixou muitas outras a morrer tragicamente.Se todos somos iguais perante Deus e por que esta diferença? Porque dá uma vida de Rei para uns e uma vida de cão a outros?
    A familia deveria processar a Tam por não ter dectado defeito no avião e a admnistração do aeroporto por ter um armazenamento de combustivel perto da pista , e também o Ex Ministro de FHC que permitiu grandes aviões descerem em congonhas.

    ResponderExcluir
  5. Quem são vocês para julgar! Deus ensina que nós devemos respeitar um ao outro, mas julgar, somente Deus! Como o primeiro comentário, Sr, Francisco, é deprimente o que você disse, é vergonhoso, e não o que esse jovem escritor fez. TOLERANCIA RELIGIOSA, POR FAVOR! Vamos respeitar as diferenças, independente de qual seja a sua religião, qual seja o seu DEUS!
    E mais uma coisa, a todos que condenaram esse escritor, peço, humildemente que nunca mais condenem os "homens-bomba" que fazem vítima no oriente médio, eles cometem INTOLERÂNCIA RELIGIOSA, E VOCÊS TAMBÉM!

    Que a paz de DEUS esteja conosco!

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar O Contorno da Sombra!
A sua opinião é bem-vinda. Comentários anônimos serão aprovados desde que não apelem para palavras chulas ou calúnias contra quem quer que seja.
Se você ainda não fez isso, sugerimos que você se cadastre no IntenseDebate (http://intensedebate.com/), que é a melhor plataforma para opinar em blogs, fóruns e sites.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails