terça-feira, 17 de junho de 2008

Racionalismo estéril

Em minhas andanças pela internet, me deparo com uma grande variedade de doutrinas e suas defesas. Em um dos fóruns que freqüento, me deparei com um espírita pregando sobre a reencarnação para uma adepta da Igreja Universal do Reino de Deus. Lendo todo o tópico, me deparei com uma opinião dele, a qual não pude deixar de comentar. Ele dizia:





Tem as mesmas chances quem morre com 20 e quem morre com 40?

Tem as mesmas chances quem nasce numa família cristã pentecostal e quem nasce numa família islamita xiita?

Tem as mesmas chances quem tem que ralar a vida toda e quem não tem que fazer o mínimo esforço a vida toda?

Uma mulher negra e pobre tem as mesmas chances que um homem branco e rico?

Com a reencarnação temos. Sem, não temos.




Respondi-lhe com o texto que segue:


Recentemente estava lendo uma comparação feita entre Paul Tillich e Carl Jung, sobre a religiosidade em nossos dias. Segundo o estudo (da revista metodista Correlatio), "ambos estavam convencidos de que suas culturas se empobreceriam e cairiam em formas superficiais e sem sentido de vida se não fosse possível salvaguardar as profundezas humanas presentes na experiência religiosa". Ainda complementa que "os dois diagnosticaram os males de sua época situando-os nas rupturas do humano resultantes de sua redução à consciência separada de suas bases bem como das energias que possibilitariam seu renascimento e renovação. Achavam que a aliança peculiar entre as forças científicas, filosóficas e religiosas era responsável pelo atual estado da humanidade, reduzida ao racionalismo estéril e à abundante produção tecnológica incapazes de compensar o sofrimento espiritual que causaram".

Quando leio uma argumentação rasa e rasteira como esta que citei, não posso deixar de notar que falta nela alguma coisa, e que algo deve estar muito errado. Algo que a deixa assim como o texto acima descreve. Um texto racionalista e estéril. É obra de alguém pretensamente religioso, mas por incrível que pareça, não transmite a idéia de religiosidade. Pergunto-me, pois: falta exatamente o quê?

Analisando o tema discutido, lembro-me do que Paulo escreve aos Romanos. No início de sua carta, Paulo comenta sobre o fato de gloriar-se no Evangelho, iniciando seu discurso sobre o pecado humano:

Porque não me envergonho do evangelho, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Porque no evangelho é revelada, de fé em fé, a justiça de Deus, como está escrito: Mas o justo viverá da fé. Pois do céu é revelada a ira de Deus contra toda a impiedade e injustiça dos homens que detêm a verdade em injustiça. Porquanto, o que de Deus se pode conhecer, neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Pois os seus atributos invisíveis, o seu eterno poder e divindade, são claramente vistos desde a criação do mundo, sendo percebidos mediante as coisas criadas, de modo que eles são inescusáveis; porquanto, tendo conhecido a Deus, contudo não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes nas suas especulações se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se estultos, e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. - Romanos 1:16-23

Para Paulo, o Evangelho é necessário para todos, pois todos pecam. E todos pecam de forma consciente, porque - de uma forma ou de outra -, todo mundo sabe que comete erros, todo ser humano sabe no seu íntimo que se desviou de Deus. É a própria criação que lhes testemunha que eles estão errados; a natureza anuncia que há um Deus cuja justiça vai cobrar-lhes por seus atos. Paulo acrescenta:

Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Como pois invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram falar? e como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? assim como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam coisas boas! Mas nem todos deram ouvidos ao evangelho; pois Isaías diz: Senhor, quem deu crédito à nossa mensagem? Logo a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Cristo. Mas pergunto: Porventura não ouviram? Sim, por certo: Por toda a terra saiu a voz deles, e as suas palavras até os confins do mundo. Mas pergunto ainda: Porventura Israel não o soube? Primeiro diz Moisés: Eu vos porei em ciúmes com aqueles que não são povo, com um povo insensato vos provocarei à ira. E Isaías ousou dizer: Fui achado pelos que não me buscavam, manifestei-me aos que por mim não perguntavam. Quanto a Israel, porém, diz: Todo o dia estendi as minhas mãos a um povo rebelde e contradizente. - Romanos 10:13-21

Paulo aqui fala sobre a pregação, e sobre a necessidade de alguém para pregar o Evangelho ao mundo. Nós, pela nossa lógica, poderíamos pensar a princípio que Paulo se limita a homens e mulheres - cristãos -, que possuem o conhecimento necessário do Evangelho para pregar a estas pessoas. A citação de Isaías aqui, entretanto, é curiosa. Paulo pergunta: "Porventura não ouviram?" Quero chamar a atenção para o tempo no passado, que, unido à declaração de Isaías ("por toda a terra saiu a voz deles, e as suas palavras até os confins do mundo"), vem reforçar aquilo que Paulo disse no início de sua carta: até a criação pode dar testemunho.

Por que estou dizendo tudo isto, então?
A razão humana aqui só acreditaria que as pessoas chegariam ao conhecimento do Evangelho, se os pregadores fossem os homens e mulheres que mencionei. A razão humana vai considerar que somente podemos ouvir algo, quando uma pessoa vier até nós e dirigir-nos a palavra. E esta razão, não encontrando saída para justificar a quantidade de pessoas que morreram sem conhecer a verdade, parte para justificações racionais como a que o espiritismo defende. Então, senhores, temos aqui o resultado deste racionalismo espírita.

Eles conseguiram transformar tudo em uma relação de causa-efeito, transformaram esta vida em uma luta para chegar à perfeição, luta que ninguém poderá dizer quando termina, se é que um dia acabará. Para eles, isto é uma demonstração do amor divino; para mim, por outro lado, acho que eles pensam que programaram um deus para amá-los. Este mesmo deus vê suas criaturas sofrendo e tentando se aperfeiçoar, como quem assiste televisão comendo pipocas. Todo mundo fala que ele é Todo-amoroso, Todo-poderoso, Todo-justiça, mas ninguém consegue explicar com profundidade o que Ele de fato faz. Parece-me, assim, que o deus espírita também é Todo-inerte.

E por causa desta mesma razão, que transformou deus em Todo-inerte, os seres humanos são obrigados a fazer todo o trabalho. Por isto é tão difícil, nesta visão racional, pessoas com 20 anos terem as mesmas chances que pessoas com 40 anos. Por isto é difícil que pessoas que nasçam em famílias cristãs pentecostais tenham as mesmas chances que uma pessoa que nasce em uma família islâmica xiita. Por isto é difícil que pessoas que "ralam" toda a vida tenham as mesmas chances que pessoas que não precisam fazer nada. Por isto que é difícil que uma mulher negra e pobre tenha as mesmas chances que um homem branco e rico. É por que todos eles estão participando dessa louca olimpíada para atingir os louros da perfeição. E o deus espírita, que é Todo-inerte, só admite ter junto de si os perfeitos. E aquele mundo discriminatório, onde alguns tem mais chance do que outros, recebe as características do deus discriminatório do espiritismo. O racionalismo não só justifica a discriminação, mas a torna necessária.

É quando surgem as palavras de Paulo: "Porventura não ouviram? Sim, por certo". Ouviram, senhores, não só por que os homens tiveram que se esforçar para levar as boas novas, mas por que a própria criação, como dito por Paulo, dá seu testemunho. Obviamente, depois que os homens começaram a pregar sobre o Evangelho, este recurso se tornou secundário. Mas vemos aqui que Deus está agindo. Vemos que, quando não há homens para pregar, Deus dá um jeito. Ele vai atrás, Ele chama todos. Ele cria condições também. Deus não é o Todo-poderoso? Deus não é justo? Por que Sua justiça não pode se dar instantaneamente a qualquer hora? Por que Sua justiça tem que levar inúmeras vidas para se concretizar?

Assim, de forma diferente do espiritismo, no cristianismo Deus se faz homem, mostrando que pode ficar ao lado dos imperfeitos, e batalha Ele próprio pelo aperfeiçoamento daquelas pessoas. Ele chora por elas, ele tem pena delas, ele as cura, ele vai até elas, ele sofre e morre por elas. Ele age. Ele as alcança. E a razão humana não conseguiu compreender nem aceitar isto. É bom demais para ser verdade. Está aí o espiritismo como prova.

Então, senhores, depois de tudo isto, eu já sei dizer o que é que falta naquele texto inicial. Falta a fé, a fé que Deus dá chance a todos, absolutamente todos, por pior que possa parecer a vida de cada um. Paulo, por esta mesma fé, declara que o mundo ouviu o Evangelho, e não é à toa que a carta aos Romanos é dedicada à fé. É pela fé que se salva, e é a fé que nos transforma em humanos.

3 comentários:

  1. oi mano helio. meu amigao. sabe muitas pessoas adeptas do espiritismo fazem realmente este discurso: as pessoas de 20 tem as mesmas que as de 40? ja oivi muita gente dizer isto. de fato respondo: tem sim. será que o evangelho nao chegou ao conhecimento deste de 20? acredito que todas as pessoas do mundo tem conhecimento do evangelho mesmo que pouquissimo deve ter chegado ao ouvido, se nao chegou deus trara ao conhecimento. hoje o cristianismo e a religiao que mais pessoas tem o conhecimento. pois ele é a verdade. afinal cada ser humano nasce com seu dom. agora pergunto oque impede uma pessoa pobre de buscar a deus? o que impede um pessoa que morre aos 20 anos buscar a deus? m que impede uma pessoa que nasce em familia islamita de buscar a deus? o que impede o que rala na vida de buscar a deus, nao vos enganeis todos sao iguias neste mundo como paulo falava. agora se um bebe morre, o espirito dele volta a deus, pois deus sabe quem seria este bebe e como ele seria,( escrito esta te conheci antes de voce vir ao mundo) ao segredo do criador ninguem saberá. me parece o deus espirita inerte mesmo. pretesto para errar. abraçao meu amigao helio, e ao irmao que postou gustuvo.

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Lucas,

    este texto foi escrito pelo mano Gustavo, e vejo que você o entendeu bem. A grande questão é que muita gente quer se salvar a si memso, sem admitir jamais que a salvação depende única e exclusivamente de Jesus. Assim, essas pessoas vão arranjando desculpas e teorias convenientes para justificar o seu orgulho, porque, cá entre nós, sem humildade ninguém vai longe neste mundo.

    abraço!

    ResponderExcluir
  3. Se pudesse eu colava isto de poste em poste para os fanáticos que desesperadamente procuram pagar pela tal salvação que tanto almejam. Com Deus não tem essa de negociar...a vontade de Deus em nossas vidas é boa, perfeita e agradável. Ele não depende de nós, nós é que dependemos da misericórdia de Deus. É só confiar...só isso. Nota mil para o teu texto e a tua argumentação.

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar O Contorno da Sombra!
A sua opinião é bem-vinda. Comentários anônimos serão aprovados desde que não apelem para palavras chulas ou calúnias contra quem quer que seja.
Se você ainda não fez isso, sugerimos que você se cadastre no IntenseDebate (http://intensedebate.com/), que é a melhor plataforma para opinar em blogs, fóruns e sites.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails