segunda-feira, 6 de junho de 2011

O triste fim da igreja evangélica brasileira

Os últimos acontecimentos envolvendo os evangélicos brasileiros, mais precisamente no período de um ano para cá, foram decisivos na consolidação definitiva de uma “ideologia evangélica” em detrimento (e substituição) a uma teologia evangélica construída ao longo de dois milênios de cristianismo, e mais especificamente nos quase 500 anos de Reforma Protestante. O posicionamento político panfletário e dogmático nas últimas eleições presidenciais e as recentes manifestações contestando os movimentos gays são apenas o marco final de uma trajetória que começou teológica e termina ideológica, a ponto de existir uma “bancada evangélica” no Congresso Nacional, que – curiosamente – permeia todos os partidos e espectros políticos, e age e negocia como tal.

Doutrinas e confissões construídas e ensinadas ao longo dos séculos foram sistematicamente vilipendiadas e abandonadas em prol de uma interpretação extremamente particular de trechos pinçados das Escrituras, capaz de justificar as mais abjetas heresias. Por isso não é de se estranhar que o desrespeito aos preceitos básicos do cristianismo gere quase nenhuma comoção ou mobilização, já que não se vê ninguém convocando passeatas para protestar contra aqueles que deturpam o evangelho e utilizam o nome de Deus para se locupletar às custas dos incautos. Pelo contrário, estão todos juntos quando se trata de combater adversários imaginários, que convenientemente desviam o olhar dos fiéis do que realmente interessa: a pregação pura e íntegra do evangelho da cruz de Cristo, que é sequestrada por aproveitadores que a fazem refém dos seus interesses privados e escusos. Aliás, a igreja evangélica brasileira deixou de fitar seus olhos em Jesus, autor e consumador da fé (Hebreus 12:2) para mirar única e exclusivamente em seu umbigo. É incapaz de dialogar com a sociedade e se mostrar - sobretudo - solidária, amorosa, desinteressada, acolhedora, sofredora e caridosa. O gigantesco rebanho prefere seguir cegamente seus líderes materialistas e gananciosos, como se eles - de fato - fossem os autores e consumadores da sua "fé", entregando-se de corpo e alma aos seus desígnios militarescos e panfletários. Mesmo denominações antigas e históricas se deixam levar pelo canto da sereia que os convoca a uma jihad contra os infiéis. A demonização desses inimigos de ocasião é necessária para sublimar as divergências doutrinárias (muitas irreconciliáveis) e forjar artificialmente um sentimento de unidade oportunista, na base do “nós contra eles”, o que justifica o seu partidarismo ideológico e – o que não é de se duvidar – arrecada muito dinheiro também.

Graças ao bom Deus, ninguém consegue manter o evangelho refém de suas vontades inconfessáveis por muito tempo. É claro que muita gente se converte verdadeiramente a Cristo nessas igrejas que se dizem evangélicas, assim como há pessoas que são alcançadas pelo evangelho da graça de Deus nos lugares mais improváveis e menos cristãos, mas dificilmente nelas permanecem. As igrejas evangélicas brasileiras se transformaram em casas de passagem de alta rotatividade, ensinando pessoas a gritar seus slogans e mantras gospel e a honrar cegamente seus ideólogos de plantão, enquanto se silenciam sobre o Cristo crucificado e seu sangue redentor. Correm o risco de ver uma mão escrevendo em suas paredes “Mene, Mene, Tequel, Ufarsim”, “contou Deus o teu reino e o acabou; pesado foste na balança, e foste achado em falta” (Daniel 5). O último que sair que acenda a luz!




"O Banquete de Belsazar", de Rembrandt
(clique na imagem para ampliá-la)

7 comentários:

  1. Puxa vida, é tão facil entender. Que reino dividido contra si mesmo poderá manter-se ? Tantas seitas, divisões e doutrinas espúrias. Todos dizendo-se certos e inspirados pelo Espirito Santo embora diferentes entre si. Tudo que já havia sido previsto. O que acontecerá ?
    Ao final, como ocorreu nos últimos 2.000 anos, civilizações se desfazem, regimes de governo são destruídos, exércitos poderosos são vencidos. O que fica de pé ? A Igreja Católia Apostólica Romana. E por que ? Porque não é obra de homens. É obra divina. Imperecível, indestrutível. E porque o próprio Jesus avisou: "As portas do inferno nunca prevalecerão contra minha igreja."

    ResponderExcluir
  2. É VERDADE!! A IGREJA VERDADEIRA TEM UM FUNDADOR: JESUS CRISTO, SENHOR E DEUS E A PALAVRA DELE É ETERNA. ALELUIA!!! E NINGUEM VAI CONSEGUIR DESTRUIR A IGREJA DE JESUS CRISTO, AS OUTRAS FORAM FUNDADAS POR HOMENS MAS A IGREJA CATÓLICA FICARÁ ATÉ A VOLTA DO SENHOR JESUS. GLORIA A DEUS!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim, ficará com suas heresias e aberrações. distorcendo as verdades bíblicas em mentira.isso é o catolicismo romano.

      Excluir
  3. O desvio doutrinário, teológico, precede a desvirtuação ética e moral,assim foi com a igreja católica. A reforma foi seu contraponto e deveria ser reforma, não cissão. O mundanismo teológico que assalta a igreja evangélica não é virtualmente evangélico, mas um proliferar de seitas mercantis sem vínculo doutrinário. É muito diferente da reforma cjo cerne foi a teologia e o retorno a sua submissão. O movimento da prosperidade é comercial, apenas isso, e se utiliza levianamente, indistintamente, de textualidade incompativel com o cristianismo. Por outro lado, o caráter político militante dos evangélicos, decorre sobretudo de reação à agressão de seus valores universais, não só de protestantes, como católicos e também das novas seitas. O movimento gay, para usar o caso citado, é de uma aberração sem par, ele pretende estipar os princípios morais, e valores cristãos da cultura brasileira, (dito por seus próprios líderes) ao ponto de retirar seu símbolos de locais públicos, demolir catedrais e o Cristo Redentor. Cabe sim!, aos cristãos, participarem ativa e democraticamente de concurso e campanha social, tendo em vistas preservar a supremacia da liberdade religiosa, de seus fundamentos, de sua cultura, preterindo e desmascarando comportamentos deletérios , degenerados, minoritários e despóticos. Note-se que, a inversão de valores , ora em curso no Brasil, ocorre com viés esquerdista, sociopata e mentiroso, alguns apontam como Gramsciano. Na verdade decorre de moral relativista, dialética, maquiavélica e oportunista, que anacrônicamente "fez a cabeça" do povo rude e "aparelhou" as classes, tanto midiática, quanto universitária.

    Quando o clero católico dominava o estado brasileiro, o que fêz? latifundiou-se, praticou a simbiose com o poder, seja este monástico ou republicano, aderiu à teologia da libertação, comungou da ideologia ateísta marxista, mundanizou a salvação para o nível da miséria econômica e Jesus foi anunciado como um cumpincha de Che Guevarra( e agora, critica os evangélicos em busca da influência politico-partidária). Suas mistificações de santas que choram, e mariolatria escancarada, etc.. no entanto permaneceram, e hoje é manipulada para manter os benesses das verbas públicas, se bem que é mais legítimo o estado gastar com templos históricos católicos do que com passeata gay e depravo!, mas não se pode acusar o capitalisto liberalista protestante, mesmo a excrecência dos neo-pentecostais, de sugarem do estado, como fazem a Igreja Católica, MST, movimentos "sociais" e os Gays.

    marcilio leão

    Não há como escapar! a Igreja verdadeira, representada por aqueles que têm na Bíblia sua única fonte de fé e prática, que crêem em Cristo como único e suficiente salvador e na graça de Deus, por meio da fé, como razão de sua misericórdia, se reduzirá cada vez mais! Não há menor dúvida quanto a isso!, entretanto faz parte da natureza da Igreja resitir ao mundo e ao demônio, ela não pode negar sua missão, e isto fará, ainda que na qualidade de mártire!

    ResponderExcluir
  4. Por que Deus é contra religiões?

    "para que todos sejam um, Pai, como Tu estás em mim e Eu em Ti. Que eles também estejam em nós, para que o mundo creia que Tu me enviaste." (João 17:21)

    A vontade de Deus o Pai e de seu Filho Jesus, é que todos os cristãos sejam um isso sujere unidade ou união.

    "E, se um reino se dividir contra si mesmo, tal reino não pode subsistir;" (Marcos 3:24)

    Divisão significa duas visões, no Brasil cada religião cristã tem uma visão diferente da outra, por isso a tendência é deixar de existir.

    "Jesus respondeu, e disse-lhes: Derribai este templo, e em três dias o levantarei." (Jo 2:19 e Mt 25:2)

    O próprio Jesus é contrário ao sistema religioso institucional com essa declaração ele mesmo nos constituiu templos ao ressuscitar ao terceiro dia.

    "Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?" (I Cor. 6:19)

    Não existe necessidade de prédios físicos, agora Deus o Pai e Jesus o Senhor habita dentro de cada um que o receber como Senhor e salvador.

    "Mas o Altíssimo não habita em templos feitos por mãos de homens, como diz o profeta:" (Atos 7:48)

    Veja que a vida do Deus altíssimo pelo seu Espírito não habita em construções feitas por mãos humanas porque Jesus já aboliu esse modelo de adoração.

    "Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade." (João 4:24)

    Adorar em espírito significa exaltar, louvar, glorificar, enaltecer o Espírito de Deus que habita no crente através da maneira de viver, falar, comportar-se, tratar o próximo como Jesus tratou, amando, bendizendo, orando, tendo compaixão, misericórdia, sendo pacificador, curando e desejando o bem sempre.

    "Mas vòs sois a geração eleita, o sacerdòcio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;" (I Pe 2:9)

    Onde houver um crente no Senhor Jesus anunciando o amor de Deus e a salvação pelo sacrifício de Jesus Cristo, ali estará a Igreja de Deus, a palavra igreja na novo concerto significa pessoas convertidas a Jesus em um determinado lugar, e não religiões institucionalizadas com cargos hierárquicos e fins comerciais ou lucrativos, Jesus nunca cobrou 1 centavo para anunciar a palavra do Pai celestial o Mestre não teve religião e não deixou nenhuma para ser seguida ele deixou-se a si mesmo para ser seguido veja: (Mt 16:24)

    Tags: igreja de Deus, denominação, templos, significado, religião, reinismo, templocentrismo, instituições, denominações, igrejas fechadas.

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar O Contorno da Sombra!
A sua opinião é bem-vinda. Comentários anônimos serão aprovados desde que não apelem para palavras chulas ou calúnias contra quem quer que seja.
Se você ainda não fez isso, sugerimos que você se cadastre no IntenseDebate (http://intensedebate.com/), que é a melhor plataforma para opinar em blogs, fóruns e sites.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails