quarta-feira, 11 de maio de 2011

O pastor que queria ser Steven Seagal (ou Demi Moore)

Que satanás é o pai da mentira, e que ela tem perna curtas, todos estão cansados de saber. 

O problema é quando a pessoa é pega numa mentira, e aí começam medir o tamanho dela. 

Já houve até quem disse (a fonte original se perdeu no tempo) que existem 3 tipos de mentiras: a mentira boba, a deslavada e as estatísticas. 

Difícil é classificar em que tipo delas caiu o pastor Jim Moats, da Christian Bible Fellowship Church (algo como "Igreja Cristã da Comunhão Bíblica"), em Newville, Pennsylvania, nos Estados Unidos. 

Com a morte de Bin Laden alguns dias atrás, o site Pennlive decidiu fazer uma matéria sobre os SEALs (os "focas"), a elite da tropa de elite dos fuzileiros navais americanos que foi responsável pela operação militar contra o terrorista em Abbottabad, no Paquistão. 

Decidiram entrevistar ex-SEALs que moram no interior da Pennsylvania e ficaram sabendo que o pastor Jim Moats se apresentava como um deles, e o reverendo contou algumas histórias mirabolantes de ação, e até pousou para uma foto bem patriótica:



Talvez o Pr. Moats não tenha dimensionado o alcance e a penetração de uma notícia qualquer postada na internet. 

Logo em seguida, já começou a haver dúvidas sobre a sua história e se realmente ele havia sido um SEAL, até que a estória chegou aos olhos e ouvidos de Don Shipley, um ex-SEAL que é um dos poucos a ter acesso ao ultra-secreto arquivo dos ex-combatentes da tropa de elite, e que tem inclusive um site a respeito dos SEALs, o Extreme Seal Experience

Checando os seus dados, Shipley verificou que não havia qualquer registro do Pr. Moats na corporação, e denunciou a farsa ao Pennlive, que não tardou em confrontar o reverendo, que não teve outra saída senão admitir que já havia 5 anos que vivia uma versão militaresca fantasiosa de si mesmo para a sua própria congregação, tendo inclusive comprado uma medalha Trident (exclusiva dos SEALs que cumprem todo o treinamento) numa loja de réplicas e bugigangas. 

Don Shipley reparou, também, que a história que Moats havia inventado sobre sua experiência militar tinha sido extraída do filme de Steven Seagal, "A Força em Alerta" ("Under Siege"), inclusive com a farsa de que Moats havia sido um cozinheiro que, de uma hora pra outra, se revelava um herói. 

Na versão de Moats havia também algumas pitadas do papel - de perseguido e torturado - vivido por Demi Moore em "Até o Limite da Honra" ("G. I. Jane"). Enfim, o pastor Moats gostava basicamente de 3 coisas: militares, cinema e mentiras.

Don Shipley contou também que é muito comum, nos Estados Unidos, ver pastores mentindo sobre seus passados militares, e que ele acha que isso não tem nada a ver com algum problema mental; é pura sem-vergonhice mesmo. 

Talvez fosse o caso de convidá-lo a passar uma temporada no Brasil, conhecendo o nível de certos "pastores" que temos por aqui.



dica do Scotteriology

2 comentários:

  1. ÉEEGUAAA , muito oboa esse post kkkkkk


    Acho que ele ficaria honrado em vir pra cá. kkkk

    ResponderExcluir
  2. Esse cara nunca foi um Pastor de verdade, um Pastor de verdade não tem esse comportamento !!

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar O Contorno da Sombra!
A sua opinião é bem-vinda. Comentários anônimos serão aprovados desde que não apelem para palavras chulas ou calúnias contra quem quer que seja.
Se você ainda não fez isso, sugerimos que você se cadastre no IntenseDebate (http://intensedebate.com/), que é a melhor plataforma para opinar em blogs, fóruns e sites.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails