quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Os dublês do diabo

Duas histórias recentes envolvem o passado de terror do regime de Saddam Hussein no Iraque, e ambas envolvem "dublês", as pessoas comuns daquele país que tiveram a infelicidade genética de se parecer fisicamente com Saddam ou seus filhos. A primeira história nem é daquela época, embora evoque os piores fluidos que os sósias tinham que enfrentar. Conta o R7 que um pobre coitado egípcio foi sequestrado para fazer um filme pornô como se fosse Saddam Hussein, que depois seria vendido e divulgado como uma antiga filmagem do ditador, recuperada de algum palácio dele. Ao se recusar a fazê-lo, foi espancado. A segunda história é a de um filme que está sendo lançado no Brasil, chamado "O Dublê do Diabo" (trailer abaixo), em que o filho primogênito do ditador iraquiano, Uday Hussein, contrata um sósia para passar por si, e este revela ao mundo o relato verdadeiro de todas as barbaridades que teve que encarar. A fonte é a Veja. São dois testemunhos gritantes de até onde a depravação humana é capaz de chegar. Confira:




Sósia de Saddam leva pau por não fazer pornô

Egipcio recusou a oferta e, por causa disso, está com a corda no pescoço


Um egípcio levou uma baita surra de uma gangue de iraquianos porque – segundo ele – se recusou a assumir o papel de Saddam Hussein em uma produção pornográfica.

Era o primeiro domingão de outubro e Mohamed Bishr estava a caminho para o seu café em uma área suburbana de Alexandria quando foi abordado por três homens usando ternos pretos, que o forçaram a entrar em uma van.

Bishr levou uma pancada na cabeça e, apesar do pesadelo ter durado pouco, acabou no hospital.

Mahmoud, filho de Bishr, disse que os caras que sequestraram seu pai foram os mesmos que apareceram na casa deles e ofereceram uma grana alta em troca de sua participação em uma produção pornográfica.

A ideia dos caras era que Bishr – que tem uma notável semelhança com o falecido Saddam Hussein – personificasse o líder iraquiano em um filminho de safadeza.

Bishr recusou sem pensar duas vezes, mas, depois disso, começou a receber ligações ameaçadoras dizendo que ele seria sequestrado caso não topasse participar da brincadeira.

Não é a primeira vez que a semelhança entre Bishr e Saddam causa problemas. Na época em que o ex-presidente estava sendo procurado pelos americanos, ele já havia sido agredido por pessoas que acharam que ele o verdadeiro Saddam e queriam entregá-lo aos ianques em troca da recompensa oferecida.

Diz-se que Saddam Hussein - executado em 2006 – tinha vários sósias que eram usados em aparições públicas. Nenhum deles – até onde se sabe – jamais recebeu proposta para fazer filme pornô.







'O Dublê do Diabo' conta a vida de loucuras do filho de Saddam Hussein

Pouco conhecida no ocidente, história escrita pelo dublê do primogênito do ditador chega às telas com direção de Lee Tamahori e momentos de '007'





Viciado em cocaína, estuprador, alcoólatra, Uday Hussein usufruiu de regalias como quis, valendo-se da condição de primogênito de Saddam Hussein. A trajetória de uma vida de horrores do filho do ditador iraquiano, pouco conhecida no Ocidente, virou filme e está na programação do Festival do Rio 2011. Dirigido por Lee Tamahori – homem à frente de 007: Um Novo Dia Para Morrer – o o longa-metragem O Dublê do Diabo narra a investida do governo iraquiano para proteger Uday de seus inimigos: Latif, um oficial do exército, é contratado para se passar pelo rapaz, submetendo-se a procedimentos capazes de causar confusão até entre membros do governo sobre quem seria o filho real ou o impostor.

No papel de Uday e de seu sósia, o inglês Dominic Cooper (de Mamma Mia) faz pleno proveito das personalidades bastante distintas de ambos, apostando numa acertada composição patética e feroz para Uday. O contraste se faz com o temperamento comedido de Latif, que sofre por discordar da barbárie comandada pelo filho de Saddam, mas precisa permanecer no papel de sósia do rapaz, caso não queira ser assassinado. Eletrizante, a narrativa - em inglês - aposta em sequências que remetem a James Bond, como no momento em que Latif resolve se rebelar, e causa espanto na excepcional cena em que Uday, descontrolado, resolve matar um dos braços-direitos de seu pai, por puro capricho.

A figura de Saddam é responsável por outra curiosidade: o ditador, no filme, é retratado de forma comedida, estrelando um único momento de fúria, quando ameaça castrar o filho, a fim de que ele abandone de vez a vida dedicada a abusar sexualmente de jovens indefesas que escolhe nas ruas de Bagdá.

O Dublê do Diabo, que tem exibições nesta sexta-feira, 7 de outubro, no Festival do Rio (Estação Sesc Ipanema 2, às 15h30 e 19h50), segunda-feira (Estação Sesc Rio 2, às 14h30 e 21h15) e quarta, dia 12 (Kinoplex Fashion Mall 1, às 16h30 e 21h30) é uma adaptação do livro lançado por Latif Yahia, o oficial do exército iraquiano que se passou por Uday Hussein. É dele também o roteiro do filme, que foi selecionado para o Sundance 2011 e para a mostra Panorama do Festival de Berlim 2011. No elenco está também a francesa Ludivine Sagnier.




5 comentários:

  1. sadan foi um grande heroi morreu como martir

    ResponderExcluir
  2. sadan hussen enfrentou Eua a maior potencia do mundo isso que é coragem...

    ResponderExcluir
  3. Não justifica os crimes. Pare de falar besteira.

    ResponderExcluir
  4. sadan hussen foi um lixo como pai e o filho pior

    ResponderExcluir
  5. ELE TA NO INFERNO COM MAOME E SUA TURMA....
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    VAI FAZER TANTO MAL ASSIM NO INFERNO

    ResponderExcluir

Obrigado por visitar O Contorno da Sombra!
A sua opinião é bem-vinda. Comentários anônimos serão aprovados desde que não apelem para palavras chulas ou calúnias contra quem quer que seja.
Se você ainda não fez isso, sugerimos que você se cadastre no IntenseDebate (http://intensedebate.com/), que é a melhor plataforma para opinar em blogs, fóruns e sites.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails